dom, nov 15th, 2009

E QUANDO O AMOR ACABA?

O fim da paixão não determina o fim do amor, mas a possibilidade do seu início

Há algum tempo fui procurado por uma mulher que estava disposta a deixar seu marido. Seu agumento foi simples, claro e decisivo: “Não há mais amor”. De fato, temos que admitir que quando a relação chega nesses termos a convivência fica mesmo difícil, uma vez que o que deve dar legitimidade à relação conjugal deve ser, de fato, o amor.

Sei que há muitos motivos que podem levar o amor a sucumbir no coração de um homem ou uma mulher pelo seu cônjuge. Motivos que podem até mesmo (sejamos justos!) justificar isso. Entretanto, há algo que vale refletir, em se tratando desse assunto.

Primeiro, precisamos fazer uma distinção clara a respeito da diferença entre amor e paixão. Alguns confundem paixão com amor, e quando a paixão se acaba acham que o amor também morreu.

Se você ama a Jesus Cristo, clique em

A paixão é um sentimento inicial que surge avassaladora e involuntariamente. O coração do apaixonado pulsa mais forte apenas pela lembrança da pessoa que é alvo dessa paixão. O apaixonado pode ficar sem dormir, perder a fome e ter estímulos que seriam impensáveis em outras situações.

Porém, a paixão não é um sentimento confiável, uma vez que se fundamenta no que não é real. Para o apaixonado, o outro não tem defeitos. E quando os tem, são desconsiderados. O apaixonado só é capaz de visualizar as virtudes, de forma que as falhas não são percebidas.

Outro elemento também, é que ela, a paixão, tem prazo de validade. E esse prazo tem vida curta, uma vez que não pode resistir a uma convivência profunda e ao conhecimento honesnto do outro. É como “fogo de palha”, que da mesma forma que vem, também se vai. Apresenta-se de forma avassaladora, mas quando submetido à prova da vida e da convivência logo se esvai. O fato é que ela, a paixão, é que leva ao casamento. Todo casamento, em condições normais, começa na paixão.

Entretento, com o casamento é criado o ambiente necessário para o surgimento do amor, pois agora haverá convivência, comunicação de vida, conhecimento honesto e verdadeiro do outro. Agora o coração não pulsará mais tão forte, nem se perderá o sono ou a fome.

O sentimento é de estabilidade emocional. O fogo da paixão encontrou-se com seu fim. Por conta disso, muitos acham que não amam mais. Mas, o que houve foi que a paixão começou a dar lugar ao amor. Ou pelo menos à possibilidade de o amor nascer de fato. O que ocorre de verdade é isso: “a paixão leva ao casamento, e o casamento leva ao amor”.

O fim da paixão não determina o fim do amor, mas a possibilidade do seu início.

Outro aspecto importante que devemos refletir é que, mesmo que o amor de alguém por seu cônjuge venha de fato morrer (e, creia, isso é possível!), ainda assim isso pode ser revertido, pois o amor tem poder de auto-regeneração. Mas para isso, é necessário vontade e trabalho.

Diferentemente da paixão, que nasce involuntariamente, o amor é voluntário. Ele exige o querer. Para que ele cresça é necessário a disposição da vontade. Enquanto a paixão só vê as virtudes, o amor considera os defeitos e decide, voluntariamente, “aceitar apesar de”. O amor não é ilusório, agindo como se não houvesse defeitos. Antes, é realista, pois vê claramente as falhas, mas consegue sobrepujá-las e aceitar o outro mesmo assim.

Alguns desistem de amar porque perceberam defeitos que antes lhes eram ocultos. Mas isso é lógico. A paixão oculta os defeitos. É agora que o amor terá condições de prevalecer, pois amar a perfeição não define mérito. Então, mesmo que o amor tenha se acabado, ele pode renascer, pois se houver vontade ele pode se regenerar. Ele tem poder para isso. Faz parte de sua essência, pois vem de Deus, e tudo o que é de Deus tem poder de renascer.

Já percebeu que mesmo nos desertos podem rebentar mananciais? Já percebeu que mesmo em meio a pedregais pode brotar uma flor? Já percebeu que a vida pode brotar forte e viçosa nos lugares mais impróprios? Pois é, o amor também é assim. Se você quiser ele pode renascer.

E, por fim, é importante dizer que Deus trabalha em favor daquele que o busca, mesmo quando a vontade se acaba. Isso porque, como acabei de falar, para que o amor renasça é necessário a vontade. Entretanto, devemos ser realistas ao entender que normalmente quando o amor se acaba, acaba-se também a vontade de que ele renasça.

Certa vez alguém me falou: “O amor se acabou. Agora, mesmo que eu possa voltar a amar não quero mais”. Quanto a isto, quero dizer algo. Tenho que admitir que há casos em que, de fato, se justifica o amor se acabar. Não podemos ser insensíveis ao ponto de não compreendermos determinadas circunstâncias e situações. Há casos em que infelizmente temos que compreender a decisão de não se amar mais.

Entretanto, também preciso dizer que em linhas gerais o propósito de Deus é a restauração do amor. E mesmo em situações graves o amor pode e deve prevalecer. Assim, a vida se enche de significado, pois se percebe vitoriosa e se restaurando em nome do amor.

Deus fez assim conosco. Devemos repartir isso com o outro, principalmente o cônjuge. O fato é que o compromisso de quem se propôs ma dividir a vida com alguém é com o casamento. Quem se casa tem um compromisso vital com o casamento. Portanto, deve lutar por ele, mesmo nos momentos em que ele estiver esmorecendo. E Deus quer ajudar-nos nisso.

Portanto, se seu amor se acabou e você não tem disposição nem mesmo de querer, peça a Deus e Ele vai trabalhar no seu querer. É desejo dEle a retauração do amor.

Dito isto, concluo que o fim do amor não precisa determinar o fim da vida conjugal. Se você quiser o amor poderá renascer ainda mais forte e vigoroso do que antes por mais áspero e ressequido que seja o terreno, pois o amor é de Deus, e o que é de Deus jamais se aniquila.

Se você quiser, isso poderá acontecer. Mas se você não quer mais, dobre os seus joelhos e peça a Deus e Ele vai restaurar o seu querer, e o amor vai prevalecer, e a vida vai se renovar, e no deserto do seu coração vai rebentar um manancial de vida.

Por: Pr. Jease Costa

estude teologia sem mensaldiade
Gostou deste post? Então: Compartilhe no Facebook Siga-nos no:  Facebook - Twitter - G+

COMENTE AQUI!

Displaying 11 Comments
Have Your Say
  1. Pr. Jease Costa disse:

    É verdade, Mônica. Infelizmente para muitos casamentos a saída é realmente o rompimento. Mas queira Deus que esse seja de fato o último recurso a se buscar.
    Um abraço e fique com Deus.
    Pr. Jease Costa

  2. Pr. Jease Costa disse:

    Glória, sua postagem é de 2009. Lamento só estar lendo agora. O problema, se ainda persiste, para ser solucionado exige a necessidade de apoio de um conselheiro. Deus usa pessoas como meio de nos ajudar em crises como essas. Infelizmente muitos insistem em lutar sozinhos. Espero que você ainda esteja com seu esposo. Mas se não, que Deus te fortaleça e te ajude a reconstruir sua vida.
    Pr. Jease Costa

  3. Pr. Jease Costa disse:

    Marcela, a paixão dura apenas o tempo em que se decide pela convivência. Embora seja uma tarefa difícil, essa paixão por essa outra pessoa pode ser superada com sua decisão consciente de amar apenas o seu esposo. O problema é que às vezes já houve um desgaste grande na relação conjugal. Mas saiba que o amor é uma decisão consciente. Isso não significa que seja fácil, mas é possível. Desejo que hoje você já tenha superado essa crise, mas se não, que Deus te ilumine. Uma sugestão que dou é que você procure alguém de sua confiança, com maturidade espiritual, para compartilhar e orar com você. Deus te abençoe!

  4. Pr. Jease Costa disse:

    É verdade, Lopes. O lamentável é que quando muitos se dão conta dessa importante diferença, já é tarde. Pena que seu casamento se acabou. Mas a vida nos serve de lição, não é mesmo? Desejo que hoje você seja uma pessoa mais feliz em seu relacionamento.
    Pr. Jease Costa

  5. Pr. Jease Costa disse:

    Como vai, Fernanda?
    Quem está falando aqui é o pastor Jease Costa. Sei que faz muito tempo que você postou essa mensagem. Infelizmente só a vi agora, bem como as outras que estão aqui. Não sei como está hoje o seu casamento, mas percebo que ele enfrenta (ou enfrentou) um problema que é comum em casos em que os cônjuges são muito jovens. Em casos como o seu seria muito importante a busca de apoio de um orientador mais experiente. O problema se agrava com a presença de bebidas e drogas, mas é possível haver solução quando os dois buscam ajuda. Como já faz um bom tempo que você postou essa mensagem, espero que com o tempo essas dificuldades tenham sido superadas, pelo menos em parte. Se vocês ainda estão juntos, sugiro a busca de apoio de um conselheiro que possa acompanhá-los de perto. Que Deus abençoe sua vida.
    Pr. Jease

  6. Fernanda disse:

    Estou passando um crise em meu xasamento tenho apenas 21 anos e sou casada a 2 anos tenho uma filhinha de 1 ano e meio. Não sei eu e meu marido estamos brigando muito á muito ciumes desconfiança bebidas e drogas entre a gente. Não sei mais o que fazer gostaria que ele paresse com tudo mas quando falo ele se exalta e faz ainda pior. Orem por mim :(

  7. Lopes disse:

    Olá Sou casado a 19 anos quando conheci minha esposa vivi uma paichão doentil pra mim era amor ela era a mulher da minha vida, não sei se era porque eu era muito jovem na epoca morava só. com 1 mes de namoro fomos morar juntos. veio o primeiro filho ai eu ja não sentia mais aquela paixão queria separar mas pensava na criança veio o segundo filho piorou mais nos falavam da relação ela tambem ja não vivia mais aquela paixão com 18 anos de casamento divociamos. devido eu ter que ir ver meus filhos fomos nos aproximando de novo nessa ela engravidou, voltamos a conviver. como amigos vivemos muito bem, como marido e mulher não sentimos nada ja conversamos ela mesma fala que não sente mais nada eu não tenho desejo sexual por ela. agora eu sei que amor e paixão são totalmente diferente.

  8. Marcela disse:

    Olá,estou vivendo esse problema com amor e paixão.Já sou casada a 21 anos e a 2 anos conheci outra pessoa que nem imaginava que ia mexer com minha vida,sei que meu coração é enganoso mais me apaixonei por essa pessoa,oro e choro todos dias pra Deus tirar essa pessoa da minha cabeça,e nisso ja se foram dois anos nessa luta a paixão pode durar quanto tempo? ore por mim obrigada!

  9. Gloria disse:

    Interessante este artigo, pois estou vivendo um drama em meu casamento, meu marido me despreza e diz que o amor acabou, estou desesperada nao sei o que fazer pois eu o amo, ja dobrei meus joelhos e clamei ajuda do senhor para restauraçao do meu casamento mas ja faz cinco meses que vivo este dilema e o senhor nao me respondeu ,o que fazer?

    NÚMERO DA SORTE: 181

  10. Mônica de Oliveira Andrade disse:

    Pastor Jease,
    Achei bem interessante seu artigo, porém fale ressaltar que depende da vida que as pessoas levam ou seja os casais, sei que realmente Deus restaura, transforma todas as coisas, mas dependendo das ciscunstãncias muitas vezes nos sentimos vazias, enganadas, pela forma como somos tratadas por nossos maridos, de modo que chegamos a nos afastar e consequentemente damos fim ao relacionamento e como você mesmo disse: temos que querer restaurar o matrimônio caso contrário o melhor a fazer é devinitivamente colocarmos um ponto final.
    Saudações
    Mõnica Andrade
    Que Deus o abençoe e lhe dê sabedoria para que possa orientar e por que não? restaurar muitos casamentos.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estes html tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>