LARGANDO O CÂNTARO! (Pr. André Lepre)

Jo.4.6:28

 6 – E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta.

7 – Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.

8 – Porque os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida.

Se você ama a Jesus Cristo, clique em 

9 – Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).

10 – Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.

11 – Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva?

12 – És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?

13 – Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede;

14 - Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.

15 – Disse-lhe a mulher: SENHOR, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la.

16 - Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá.

17 – A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido;

18 – Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.

19 - Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta.

20 – Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.

21 – Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.

22 – Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus.

23 – Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.

24 – Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

25 – A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo.

26 – Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo.

27 – E nisto vieram os seus discípulos, e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher; todavia nenhum lhe disse: Que perguntas? ou: Por que falas com ela?

28Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens:

Jesus vinha da Judéia indo em direção à Galiléia e decidiu atravessar pela província de Samaria. Ao seguir seu percurso Jesus chegou a uma cidade de Samaria chamada Sicar perto das terras que Jacó dera a seu filho José e cuja fonte que lá havia era conhecida como a fonte de Jacó.

Neste ponto Jesus cansado da viagem resolve descansar junto a esta fonte e nela encontra-se com uma mulher samaritana que se dirigiu também para essa fonte para tirar água. Não era comum nessa época uma mulher ir ao poço ao meio-dia. Nessa época as mulheres iam ao poço encher seus cântaros bem cedo e ao entardecer quando a temperatura estaria mais amena. Essa mulher samaritana não tinha boa reputação, vivia em pecado de prostituição. Ela foi ao poço a essa hora para evitar o contato com as outras mulheres. A condição dessa mulher nos faz entender que ela sofria com peso da sua própria consciência que certamente a acusava por causa do seu pecado. E essa pressão se tornava maior porque de repente mesmo sabendo que vivia no erro, não tinha forças suficientes para mudar aquela situação.

Essa mulher estava junto ao poço com o seu cântaro para retirar água e um dos motivos que a levaram a este local para retirar água era a sua sede.

Qual seria o significado e o que ocasiona a sede física?

“Cientificamente uma das definições de sede é a sensação de caráter geral, iniciada por estímulos originados dentro do próprio organismo e não do meio ambiente. Os estímulos são detectados por receptores através de impulsos inatos que garantem a sobrevivência e gera a motivação que impele o organismo a providenciar aquilo que lhe falta.

“A geração da sede deve-se a diminuição do volume extracelular ou da pressão sangüínea e também fatores psicológicos e emocionais.”

Ou seja, a sede é gerada quando somos expostos a algum tipo de desgaste físico, psicológico ou emocional. Então, o nosso organismo começa a sentir falta de líquido e faz com que tenhamos a necessidade de re-hidratarmos nosso corpo.

Passando por Samaria Jesus liberou seus discípulos para comprar comida. Ele pediu água à mulher samaritana.

O que se deduz que Ele estava com sede. Sede de que?  De água. Ou seja, o desgaste físico de Jesus fez com que seu corpo necessitasse ser re-hidratado revelando assim uma necessidade do seu corpo físico.

Mas, quando Jesus começa a dialogar com essa mulher Ele vai falar de uma sede e de uma água que não são naturais. O que nos faz entender que Jesus detectou nela uma sede além do natural, uma sede espiritual e emocional causada por algum fator predominante. E que fator predominante seria esse?

A acusação da sua própria consciência. A pressão do julgamento que ela mesma fazia sobre si. A falta de forças em si mesma para reverter àquela situação porque de repente por uma necessidade, ela se submetia a essa situação, pois, a mulher nessa época se não tivesse um marido sofria muito para poder se sustentar. Isso levava algumas mulheres a se prostituir o que de certa forma era o que ela fazia, pois, vivia em adultério.

Jesus inicia o dialogo com essa mulher dois versículos vão nos mostrar que essa mulher era alguém que também tinha algumas dúvidas espirituais que contribuíam para que ela não conseguisse encontrar um caminho certo a ser seguido para saciar essa sua “sede”:

Vers. 9 - Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).

Vers. 20 – Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.

E aí começamos a perceber que essa mulher era alguém que sofria além do peso da sua consciência também com o peso de uma tradição religiosa que acabava por julgá-la por causa do seu pecado e impedia que ela pudesse saciar a sua “sede” espiritual e emocional, peso esse, que acabava por contribuir para uma vida de dúvidas e incertezas.

Jesus começa então o processo de resgate dessa mulher quebrando de cara 3 (três) importantes regras da sociedade:

1a. As mulheres eram consideradas inferiores aos homens e um homem jamais falaria com uma mulher em público.

2a. Os judeus não falavam com os samaritanos, nutriam ódio mutuamente e evitavam qualquer tipo de contato.

3a. Um Rabi (Mestre) jamais falaria com uma mulher em pecado, uma mulher de má reputação. Essa mulher era rejeitada pela sociedade.

Era considerada imoral, pois, estava em adultério. Já tinha tido cinco maridos e vivia com outro com quem não era casada.

Mas eu quero lhe dizer uma coisa inspirado pelo Espírito Santo de Deus:

SE FOR PARA TE SALVAR JESUS QUEBRA QUALQUER REGRA, TRADIÇÃO E JUGO DA SOCIEDADE. PORQUE PARA JESUS A SUA VIDA VALE MAIS DO QUE O MUNDO INTEIRO(Mateus 16:26) – Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma? 

Podemos perceber que a partir do momento que Jesus quebra essas regras ela começa a se soltar e a expor todas as dúvidas e incertezas. Podemos perceber no versículo 20 uma pessoa desorientada espiritualmente. Havia na sua mente uma confusão de valores espirituais e que se repetem nos dias de hoje.

Existem hoje em dia muitas pessoas com dúvidas e incertezas espirituais porque há uma busca desenfreada pelo melhor “monte” de adoração à Deus. Há uma competição entre igrejas e internamente entre ministérios cada um querendo apresentar, exaltar, individualizar, supervalorizar o seu próprio “monte”:

Vemos brigas e acusações nos meios de comunicação entre lideranças espirituais por horários de televisão, estações de rádio etc. cada um querendo mostrar que o seu “monte” é o melhor, é o mais abençoado, aonde mais milagres acontecem, aonde Deus fala… Criam-se slogans (“Venha para cá porque aqui você vai receber o óleo que veio de Israel e sua vida vai melhorar, você vai ter dois carros, sua casa própria, sua casa na praia…” “Venha para cá porque aqui você vai receber a toalhinha, o sal grosso, a rosa ungida, a chave consagrada e todo mal vai sair da sua vida…” “A mão de Deus está aqui…” “Terra dos Milagres…” etc.) como verdadeiras jogadas de marketing para atrair o maior número de pessoas possíveis a fim de tornarem-se membros dessas mesmas igrejas. Quando na verdade o que deve atrair as pessoas até a casa de Deus é a Palavra do Senhor, a presença do Senhor, a gloria de Deus que se manifesta aonde ELE quer porque Ele é o SENHOR. Não são os homens que determinam o que Deus faz ou deixa de fazer, aonde e quando o milagre acontece, aonde e quando ELE se manifesta isso pertence ao Nosso Deus.

Ministérios internos das igrejas que na ânsia de querer mostrar serviço para o pastor criam os seus “montes” como as barracas que montaram dentro do templo e que Jesus teve que ir com o azorrague e por tudo abaixo acabando com o comercio dentro do templo. Precisamos muitas vezes fazer que nem Jesus e fazer um azorrague e por abaixo o “comercio” das idéias individualistas, egoístas, da vaidade, da autopromoção. Isso vem fazendo com que a igreja venha perdendo o foco do Evangelho de Jesus Cristo que é o de todos em uma mesma visão, a visão do REINO DE DEUS. A visão de salvação de almas. A visão de resgate de vidas independente de bandeira denominacional. Não importa se é Batista, Congregacional, Assembléia, Metodista, Comunidade, se é ministério de família, de jovens, de mulheres, de visitação o que importa é que a nossa bandeira é o Senhor e a sua obra. Com essa confusão acabamos criando pessoas confusas e desorientadas espiritualmente.

Essa mulher só precisava de alguém que abrisse a sua mente, que dissolvesse suas dúvidas, que mostrasse para ela que a sede que ela pensava que era de água natural na verdade era de uma água sobrenatural, água essa, que a faria sair do seu estado pecaminoso para um estado de resgate eterno. Essa mulher era ignorante na fé. Jesus começa confrontá-la com a sua cegueira espiritual e então começa a se fazer conhecido por ela. “Se tu conheceras, o dom de Deus…” Que dom é esse? O dom do perdão!

Jesus propôs a essa mulher a condição de nunca mais ter sede.

Como é que Jesus promete isso a essa mulher se ele mesmo dá indícios de ter sede?

Lembra no início dessa reflexão sobre a definição científica de sede?

“Os estímulos são detectados por receptores através de impulsos inatos que garantem a sobrevivência e gera a motivação que impele o organismo a providenciar aquilo que lhe falta. A geração da sede deve-se também fatores psicológicos e emocionais.”

Espiritualmente falando, existiam “estímulos” que seriam as dúvidas dessa mulher, que geravam a sua “sede” indicando que a sua alma e o seu espírito necessitava da “água da vida”.

Porque há uma sede que é a do corpo, da matéria, do físico, que a água natural é capaz de saciar temporariamente, pois em pouco tempo essa sede retorna. Mas há uma sede que é a da alma e do espírito e essa sede somente alguém muito especial pode saciar.

(Apocalipse 7:17) – Porque o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará, e lhes servirá de guia para as fontes das águas da vida; e Deus limpará de seus olhos toda a lágrima.

Ao olhar para ela Jesus detectou a sede na sua alma de ser perdoada dos seus pecados. A sede de ter uma vida transformada e de ter um marido que verdadeiramente seria seu.

Agora note uma coisa: Jesus ainda não havia perdoado essa mulher e nem lhe dado da sua “água”. Por quê?

1º. Ninguém pode ser perdoado se não tiver sequer a oportunidade de conhecer aquele que tem poder para perdoar pecados.

2º. Ninguém pode ser perdoado se não reconhecer o seu pecado.

Quando ela pede dessa água a Jesus e ele diz: “Vai, chama o teu marido, e vem cá.” E

ela responde: “Não tenho marido…” Creio que esse foi um ato de confessar e reconhecer o seu pecado. Disse-lhe Jesus: “Disseste bem: Não tenho marido;

Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.”

E Jesus continua: “crê-me que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai… que vem a hora e agora é que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade… porque o Pai procura os verdadeiros adoradores…

Agora já tratada, com as feridas atadas e cheia de certeza, essa mulher então responde: “Eu sei que o Messias (que se chama Cristo) vem…

E Jesus então lhe dá da sua água e diz: “Eu o sou, eu que falo contigo…”

No versículo 28 crendo em Jesus depois de ouvir as Suas palavras e ser curada diz que ela deixou (largou) o seu cântaro e retornou à sua cidade com sua sede saciada testemunhando o poder de Jesus.

Entendo por uma inspiração divina que essa mulher deixou a visão natural e assumiu a visão do sobrenatural.

A visão dessa mulher em meio à sua sede era a visão daquele poço e daquela água, ambos, naturais.

Jesus tira essa mulher da visão natural da sua necessidade e apresenta-lhe a visão do sobrenatural, a visão de uma fonte de águas vivas. Que sacia a sede de perdão, a sede de cura, a sede de libertação, a sede de restituição, a sede de ter uma vida transformada e de história mudada.

Essa mulher bebeu de uma água que saciou a sua sede. JESUS CRISTO DE NAZARÉ.

Existem muitas pessoas hoje em dia (quem sabe você é uma dessas pessoas) com sede de ter sua família reconstruída, de ter o seu casamento restaurado, de ver seus filhos libertos das drogas, da prostituição, sede de uma porta de emprego aberta, sede de ser curada de uma enfermidade terminal, sede de ter a sua alma sarada.

O que Jesus fez foi tocar na ferida daquela mulher. Às vezes é assim, Jesus tem que tocar na nossa ferida para que possamos levar um choque de realidade. Mas quando Jesus toca na ferida, não é para abri-la ainda mais, e sim, para fechá-la.  

A sede do corpo é saciada com água natural. As feridas da alma são tratadas com bálsamo, e a sede do espírito é saciada com a “água da vida.”    

(Oséias 6:1) –  VINDE, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida.

(Salmos 147:3) –  Sara os quebrantados de coração, e lhes ata as suas feridas.

O SENHOR SARARÁ SUAS FERIDAS! 

O que eu quero ministrar hoje sobre sua vida é que Jesus vai lhe tirar dessa visão natural das suas necessidades, das suas privações, dos seus pecados e vai te levar a uma visão do sobrenatural de Deus. O sobrenatural do milagre, da vitória, do suprimento das necessidades não somente físicas, materiais, mas, também espirituais e emocionais.

É tempo de sair do lado dos poços da vida, largar o cântaro de água natural e partir em direção ao poço de Deus com a sua vida que é o seu maior cântaro e ser cheio da presença de Jesus Cristo que é o manancial da água da vida para você.

Sua sede de justiça, de libertação, de cura, de perdão, de prosperidade, de restituição, de restauração, será saciada pela melhor de todas as águas, a mais pura, mais leve e suave, a mais cristalina, JESUS CRISTO.

Basta somente você confessar seus pecados para Deus, se arrepender e Ele te purificará para toda vida.

Você estará mais forte, cheio de vigor, mais confiante, mais crente, mais vivo do que nunca para a gloria de Deus.

Pense nisso!

Nele, por Ele, para Ele.

Pr. André Lepre
Gostou deste post? Então: Compartilhe no Facebook Siga-nos no:  Facebook - Twitter - G+

COMENTE AQUI!

Displaying 1 Comments
Have Your Say
  1. Pery Marques disse:

    A paz de do Senhor Jesus Pr. André. As suas mensagens são muito maravilhosas e edificantes que dispensam qualquer comentário. Senão, um pedido ao Deus Altíssimo que venha lhe abençoar cada dia mais, e usá-lo cada dia mais. Que o SENHOR o abeçoe.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estes html tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>