sex, set 18th, 2009

Nudismo “sem culpa” para evangélicos em praias brasileiras

NudismoConhecidos por seus costumes religiosos rígidos, os fiéis das religiões pentecostais sempre tiveram horror a tudo que estivesse ligado a sensualidade. Isto incluía as vestimentas dos fiéis, que deveriam cobrir a maior parte do corpo possível, em especial, tratando-se do corpo feminino. Porém, com o surgimento das novas religiões neopentecostais, fundado por pregadores oriundos do catolicismo popular, as normas religiosas foram flexibilizadas. Hoje, os crentes já podem ir à praia e usar roupas mais curtas. Mas, quem pensa que o liberalismo evangélico termina por aí está muito enganado. Um grupo de evangélicos da nova geração decidiram despir-se de todos os véus religiosos, literalmente. São os evangélicos naturistas.

O Arte Profana teve acesso ao depoimento de alguns evangélicos que foram veiculados pelo conservador “Informativo Batista”. Procure ler sem preconceitos.

Pureza não está ligada às roupas
“Há muitos evangélicos naturistas no Brasil. A pureza da alma não está ligada às roupas. Considero o naturismo uma visão da Criação. As pessoas ainda têm preconceito contra o nu porque falta esclarecimento. Sempre fui atuante na Igreja e não esperava ser excluído de minhas atividades de uma maneira tão desagradável. Mas a religião não deixou de estar no meu dia-a-dia. Converso com Deus seja onde for. Não escondo que sou naturista. Não tenho do que me envergonhar“. Estevão Prestes, 31 anos, arquiteto.

“Não me considero um pecador”
“Na minha vida, o naturismo antecedeu a religião. Fico nu há 15 anos, desde que fui à Praia de Trancoso, na Bahia. Já frequentei a Praia de Abricó e gosto da Praia Olho de Boi. Há sete anos, eu me tornei evangélico. Não me considero um pecador por ainda buscar praias de nudismo. Onde está na Bíblia que é proibido ficar nu ? Temos o espírito livre e puro. O que dizer do Carnaval, então ? E das revistas de mulheres ou homens pelados ? Nós temos uma filosofia de vida: a do respeito ao próximo”. Carlos Moreira, 44 anos, comerciante.

Se você ama a Jesus Cristo, clique em 

Um nova forma de comunhão com Deus, segundo alguns
Um paraíso ecológico, nenhuma roupa e… a Bíblia. Pode parecer contraditório, mas naturismo também é coisa de crente. Isso mesmo: no Rio, até mesmo pastores evangélicos se bronzeiam como vieram ao mundo nas praias frequentadas por nudistas. Membro de tradicional igreja evangélica há sete anos e naturista há 15, o comerciante Carlos Moreira, 44 anos, é um dos que defendem que não há barreiras entre a religião e o nu. “O pecado não está no corpo despido, mas, sim, na malícia das pessoas. Meu coração é puro”, argumenta.

A comunhão entre Deus e nudismo também é praticada pelo arquiteto curitibano Estevão Prestes, 31 anos. Evangélico há 14 anos, ele frequenta uma praia naturista – a Praia do Pinho, em Santa Catarina, há três anos. Estevão gosta de orar sozinho na praia e de ler a Bíblia – nu, é claro: “A vivência naturista me aproxima da espiritualidade.
Tenho momentos de comunhão com a natureza, com Deus e com o próximo”, justifica. Ele diz ter tido problemas em sua antiga agremiação religiosa (a Igreja do Evangelho Quadrangular), entretanto, ele continua evangélico e diz: “Não escondo que sou naturista, mas também não ando com crachá. Os que sabem, me aceitam”, garante.

Pastora pentecostal também pratica nudismo
O nudismo evangélico é uma idéia inovadora, por isso alguns preferem o anonimato, como a pastora pentecostal há 15 anos, Márcia, de 48 anos (ela trocou o nome para não ser reconhecida por seus fiéis). A pastora se converteu ao naturismo há três anos, após visitar a Praia Olho de Boi, em Búzios. “Eu me encantei com o respeito e a pureza. Ser naturista é estar em contato pleno com o Senhor”, defende ela. Márcia visita sítios de lazer e já frequentou a Praia do Abricó, no Recreio, que foi proibida para a pratica do nudismo por força de liminar.
Márcia diz ter aprendido que o naturismo não tem conotação sexual. “Vemos a nudez com olhos do espírito, sem malícia”, ensina a pastora, que lamenta o preconceito que enfrenta. “A igreja evangélica está recheada de dogmas e tabus. Somos tolhidos de vermos o mundo como é. Não poderia abrir minhas opiniões aos fiéis. Causaria grande rebelião”, pondera a pastora naturista. Ela também faz evangelizações com amigos em recantos de nudismo. “Certa vez, uma irmã estava com sérios problemas e prestei favores espirituais para ela ali mesmo, em um sítio de convívio naturista”, recorda.

Argumentos saídos do Livro Sagrado
De acordo com a narrativa bíblica, ao comerem o fruto proibido, Adão e Eva tiveram a consciência do “bem” e do “mal” e cobriram os corpos nus, por se sentirem envergonhados perante o Criador. Em tempos modernos, a passagem do livro de Gênesis é usada por evangélicos para defender ou condenar a prática do naturismo. Com interpretações divergentes, muitos crentes se cobrem dos pés à cabeça ou tiram a roupa nas praias e áreas de nudismo.
“A nudez não era rejeitada até o pecado original. O naturismo leva as pessoas ao estágio original de inocência, a reviver a Criação”, justifica a pastora naturista Márcia. Para a pastora Suzana Viana, da Igreja Metodista do Brasil, o nu não é pecado, mas agride a consciência do próximo. “Temos que respeitar a comunidade, como diz a Bíblia”, avalia.

Nudistas evangélicos buscam paraísos ecológicos
Não é só no Rio de Janeiro que os evangélicos estão deixando de lado as roupas típicas de “crentes”. Considerada um paraíso naturista, a Praia de Tambaba, em João Pessoa, no estado da Paraíba, reúne entre seus frequentadores um grupo de pelo menos 15 evangélicos, segundo o ex-presidente da Sociedade Naturista de Tambaba Nelci Rones Pereira de Sousa, de 47 anos.
Nascido em família evangélica, Nelci é naturista há mais de 20 anos. “Detesto roupas, o que não quer dizer que eu não tenha Deus no coração. Imoral é o que se faz de sujo com o corpo”, defende ele, que faz parte da Igreja Batista. “Não sofri nenhuma crítica”, diz o naturista.
Já o aposentado Carlos Antonio Pereira de Moraes, 52 anos, deixou os cultos por se sentir “incomodado com o conservadorismo e o fanatismo”. E acrescenta: “Optei pelo naturismo e sou livre. Ser cristão é pregar o Evangelho onde for”.

Fonte:Arte Profana / Padom

Gostou deste post? Então: Compartilhe no Facebook Siga-nos no:  Facebook - Twitter - G+

COMENTE AQUI!

Displaying 6 Comments
Have Your Say
  1. Presbítero: Edson Lelis disse:

    A Palavra de Deus relata que nossos corpos são templo do Espírito Santo, é obvio que Adão e Eva viviam sem roupas, más em tempos que não existia o pecado, após a desobediência os mesmos se sentiram envergonhados, portanto em nosso dias se faz necessário andarmos com roupas decentes para que não se escandalize, quer ir na praia?? não tem problema, existe roupas decentes para tal, más como estamos vivenciando uma era de liberalismo vão em frente…… só não venha dizer que isso é de agrado do CRIADOR!!! pois isso terá uma consequência… é esperar prá ver.

  2. silvana disse:

    senhor jesus, daqui a pouco nada mais é pecado ,e lá vem adulterio, torca de casais e ai vai, por isso existi inferno viu…

  3. Jorge disse:

    “Optei pelo naturismo e sou livre. Ser cristão é pregar o Evangelho onde for”.

    Ser Critão não é pregar o Evagelho onde for e sim viver o Evangelho onde for…
    e me digam quem é o puro e santo que vendo nua uma bela mulher em uma posição obscena que por mais equilibrado e maduro que seja nunca chegou a pensar na realização em si do ato sexual?
    O Evangelho é claro… ” se pensar no ato ja está pecando”… sendo assim acredito que os corpos nus funcionem como mel nos narizes dos ursos rsrsrs…

  4. Leopoldo Luiz disse:

    O corpo humano não é e nunca foi pecado. O pecado é o que escolhemos fazer dele ou com ele. Até enxergarem o pecado, Adão e Eva andavam nús no Édem. Não vejo pecado nas pessoas andarem nuas e sim no que lhes passa pela cabeça quando o fazem. Como, segundo as Escrituras, somos todos pecadores, não seria a naturismo uma forma de esfregar mel nos narizes de ursos?
    Cada um defende a sua verdade, mas a verdade biblica é uma só, sem interpretações tendenciosas. Gozada a idéia de Hélio quando alega que Pedro pescava nú e foi escolhido; mas, mais adiante, diz que Pedro teve que se vestir para companhar Cristo. Qual das duas verdades vale? A anterior ao conhecimento de Cristo ou a posterior? Creio que não há dúvidas. Mas não julgo ninguém, apenas argumento.

  5. Hélio disse:

    Se o corpo humano é pecado e foi Deus que o criou então Ele é pecador?!?? Ora, se isto é absurdo como explicar que Pedro o principal Apóstolo, somente pescava pelado e teve que se vestir para estar com o Cristo ressuscitado(tá na Biblia) e então qualquer um que estiver ricamente e completamente vestido estaria garantindo para ele o ceu enquanto todos os bebês seriam criminosos e pecadores. Desde quando sexo é pecado se todos nascemos dele? A hipocrisia esta sim é que é na verdade um grande pecado por julgar os outros de maneira maldosa e indevida

  6. Só falta daqui uns dias os pseudos evangelicos,fazer uma roda para fumar crac,cheirar cocaina e fumar ma conha e dizer que iso é para Deus.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estes html tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>