dom, jul 11th, 2010

O PLANO DE DEUS E O ARREBATAMENTO

Um pouco antes de ser elevado aos céus Jesus disse aos Seus discípulos que permanecessem em Jerusalém até que recebessem o batismo no Espírito Santo.

“ Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel ?” ( At. 1. 6 ).

“E disse-lhes: não vos pertence saber os tempos ou as estações que o pai estabeleceu pelo seu próprio poder (At 1.7 )”.

A bíblia nos ensina que Jesus voltara como um ladrão na noite e neste dia muitos  cristãos estarão fazendo suas  orações, outros correndo para não chegarem atrasados no seu trabalho, outros estarão ainda dormindo, outras pessoas tendo-a oportunidade de aceitarem Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, outros ainda estarão negando Jesus e uma grande porcentagem da humanidade caminhando para a destruição eterna.

E quando menos se esperar a Igreja gloriosa, a Igreja vitoriosa, a Igreja sem mancha, sem ruga, sem mácula, ouve o grito ( Mt 25.6 ) e ao som  da trombeta de Deus, e com voz de arcanjo,  a Igreja e todos os que morreram em Cristo subirão aos céus para encontrar-se com o Senhor nos ares.

A vida no planeta virará um caos, milhares de pessoas não conseguirão compreender o que aconteceu, aqueles crentes que não assumiram um compromisso verdadeiro com o Senhor irão chorar amargamente, haverá um grande congestionamento de carros, prédios estarão se incendiando , acidentes por todos os lados, aviões em que seus pilotos aceitaram Jesus como Senhor e Salvador estarão caindo, navios afundando, muita gente perdendo a ultima chance de confessar Jesus como Salvador de suas vidas por causa das mortes, e tudo isso por que não quiseram ouvir a voz do Senhor, as Boas Novas de salvação.

A humanidade não consegue compreender, os sepulcros vazios, as grávidas perdem seus bebês e todas as crianças inocentes e aqueles que tinham o coração voltado para Jesus e faziam a sua vontade desapareceram do planeta Terra.

Muitos comentários irão surgir a respeito do desaparecimento, será que foram os extraterrestres, ou alguma reação química, ou será que é realmente o cumprimento das Escrituras Sagradas; o que aconteceu? Para onde foi todos os que desapareceram

Enquanto a Terra e os homens começam a passar por momentos difíceis, sendo que isto é apenas o começo, lá no céu , os crentes em Cristo Jesus estarão se regozijando de felicidade e vitoriosos clamando a uma só voz: “Digno é o Cordeiro, á Ele a Honra a Glória e o Poder, para todo o sempre, Amém”.

O ARREBATAMENTO

A palavra arrebatamento: significa tirar á força, arrancar; a palavra “arrebatamento” aparece uma única vez na Bíblia, em I Ts 4.17, mas a encontramos em outras passagens que deixam claro o dia maior calamidade da história, o arrebatamento.

Como acontecerá o arrebatamento?

A palavra de Deus em I Ts 4.13-17nos deixa bem claro como será e como acontecerá o arrebatamento: “não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

Por que, se  cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus o tornará a trazer com Ele.

Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor, que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.

Por que o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.

Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.

A Bíblia não nos deixa claro qual será o processo do arrebatamento se lento ou rápido, mas ao examinarmos a passagem em que Jesus foi elevado ao céu ( At 1.9), vemos que Jesus não foi arrebatado, mas sim elevado ao céu, acredito que o arrebatamento será maravilhoso e semelhante a este episódio, creio também que somente os que verdadeiramente aceitaram Jesus como único e suficiente salvador verão, os que ficarem na Terra não terão este privilégio de ver.

A palavra nos diz que no momento do arrebatamento, nossos corpos serão transformados, vamos ver o que nos diz: I Co 15.52: “num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; por que a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”.

Como vimos, os nossos corpos serão transformados em corpos incorruptíveis, num processo rápido como relâmpago, a palavra nos diz que o Senhor não vai nos dar um corpo diferente, mas o mesmo corpo transformado e incorruptível.

Não podemos saber e nem prever o dia em que se dará o arrebatamento, pois o próprio Senhor Jesus mesmo o declarou que ninguém sabe o dia, nem a hora, se não Pai que estás no céu ( Mc 13.32), pois isso pertence somente a Deus.

Quando estudamos ou apenas lemos as Escrituras vemos que naquele dia haverá cenas diurnas do arrebatamento ( Mt 24.40- 41) e também haverá cenas noturnas ( Lc 17.34).

Nós seremos iguais aos anjos do céu ( Lc 20.36) e teremos corpo de glória ( Fp 3.20-21).

SINAIS QUE IRÃO ANTECEDER A VOLTA DE JESUS E O ARREBATAMENTO DA IGREJA

-          Falsos Cristos ( Mt 24.5) nunca houve na história da Igreja tantos falsos Cristos como nos dias de hoje. Há muitas pessoas intitulando-se Cristos, dizendo que são Deus.

-          Informações e notícias chegam do mundo inteiro mostrando escândalos no Evangelho, homens que  dizem ser Jesus Cristo, seitas que levam seus seguidores ao suicídio, outras que motivam o casamento de pessoas do mesmo sexo, outras negam a pessoa de Jesus cristo como Filho de Deus. De fato a religião cresceu muito nos últimos anos, e com isso aumentaram também os falsos profetas.

-          No Evangelho de Mateus Jesus nos fala que nos finais dos tempos ouviriamos falar de guerras e rumores de guerra ( Mt. 24.6 ), sempre ouvimos falar de guerras, mas nesses últimos anos este número tem crescido muito e a humanidade não dorme e não tem paz.

-          Hoje compreendemos que um simples  toque de botão toda a humanidade pode afundar-se no abismo e ser destruída.

-          Também nos fala de nação contra nação ( Mt 24.7) e vemos que já não há paz entre as nações. Elas não se entendem e não entram em um acordo. Há uma falsa paz. Elas estão amotinadas. O estopim da discórdia já foi posto entre elas, basta uma fagulha para explodir a bomba.

-          Mostra-nos também que haverá fome ( Mt 24.7) milhões e milhões de  crianças, morrem anualmente em todo o mundo abatidas pela fome. No Brasil o numero de crianças desnutridas é alarmante e assustador e é muito chocante ver crianças e pessoas morrerem de fome em um país de tão grande dimensões..

-          Terremotos ( Mt 24.7) ouve um aumento geral no numero de terremotos isto tem sido um dos mais notáveis fenômenos dos últimos cem anos. Os registro destes quinhentos anos passados, nos mostram um grande e constante aumento de abalos sísmicos:

  • Século XV ocorreram 115 terremotos;
  • Século XVI ocorreram  253 terremotos;
  • Século XVII ocorreram 378 terremotos;
  • Século XVIII ocorreram 640 terremotos;
  • Século XIX  ocorreram 2119 terremotos.

Com esse aumento assustador dos terremotos, podemos imaginar que Jesus não vai demorar muito para voltar e levar a Sua igreja.

-          Multiplicação da iniqüidade (Mt24.12) em Los Angeles ( EUA) no dia 4/3/82, foram encontrados os cadáveres de 530 bebês, que foram abortados antes de completarem os nove meses de gestação, um verdadeiro cemitérios de crianças não aceitas pelos pais.

-          O Amor está desaparecendo da família, esta sendo cada vez mais difícil encontrar famílias felizes. E Jesus nos falou que os pais iriam se levantar contra filhos e filhos da mesma forma se levantariam contra os pais, já é muito comum, nos depararmos com  casos de jovens que matam a família inteira e ainda por cima sentem prazer em fazer isto; o divórcio é uma grande arma que contribui e favorece a falta de amor fraternal nas famílias, lares são desfeitos, vidas descontentes… é o resultado do amor se esfriando!

-          Multiplicação da ciência (Dn 12.4) não temos muitas coisas a comentar à respeito disso, pois estamos vendo todos os avanços em todos os setores como, clonagem, transgênicos, robôs, sondas, computador, bomba atômica, energia nuclear, etc.

-          Falsos profetas (Mt 24.11) esses falsos profetas não surgem somente das religiões orientais,  eles estão brotando até mesmo no nosso meio. Hoje vemos pessoas em nosso meio que dizem ser de Deus, cobram orações, fazem lindas pregações, mas são verdadeiros falsos profetas, vivem anunciando filosofias e falsos ensinamentos que satisfazem os anseios humanos.

-          Do mesmo modo que aconteceu nos dias de Noé (Lc 17.26) esta acontecendo nos dias de hoje a  humanidade está preocupada consigo mesma, pensando somente em alimentar o seu próprio ego, com festas, casamentos ilícitos, o egoísmo tomou conta da população tornando-os insaciáveis.

-          Pestes (Mt 24.7) existem doenças incuráveis, que até hoje a medicina não conseguiu meios de evitá-las, e a cada dia surge  novas doenças, existe um enorme número de pessoas aidéticas, pessoas com câncer, e, algumas outras doenças que voltaram a ferir a humanidade. Doenças, enfermidades, sempre houve, mas hoje o número é grandioso, e quanto mais campanha fazem, de conscientização o número parece crescer mais, tudo isso deixa claro que a humanidade está cada dia mais cega e que está prestes  para Jesus  voltar.

QUEM SERÁ ARREBATADO?

Todo crente, e verdadeiro cristão será arrebatado para viver na glória com o Senhor. Não devemos e nem podemos, confundir o trigo com o joio. O trigo nos mostra as Escrituras que  será recolhido pelo senhor, mas  o joio será lançado fora e será queimado.

Haverá muitas pessoas que são  membros de Igreja que não serão arrebatados, porque são apenas membros de Igreja, mas não receberam Jesus Cristo em seu coração, e assim sendo não nasceram de novo, e o seu nome nunca foi escrito no Livro da Vida.

Também haverá muitos filhos de crentes, e muitos pastores, que não serão arrebatados,.

Entretanto, todo crente no Senhor Jesus,  que tenha muito ou pouco talento, forte ou fraco, se é falho ou não, bom ou ruim, se trabalha na obra ou não, seja quem for, esteja onde estiver e como estiver, será arrebatado. A única condição essencial para ser arrebatado é ter Cristo no coração, é ter o seu nome inscrito no Livro da Vida do Cordeiro.

O TRIBUNAL DE JESUS

Acreditamos que após o arrebatamento iremos todos comparecer diante de um tribunal com todos nos vendo como nos mostra (II Co 5.10) – “Porque todos devemos comparecer ante ao tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”.

Fica claro que nem todos que se julgam cristãos receberam galardão. No tribunal de Cristo não haverá como usar máscara ou se disfarçar ou como muitos fazem vivem se escondendo atrás da Bíblia  (I Co 4.5) –“Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que o senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações ; e então cada um receberá de Deus o louvor”. Neste  dia de Juízo, todas as suas más obras já terão sido tratadas. Nem apenas um único pecado será mencionado. Em vez disso, só as suas boas obras, inclusive a sua fé em Jesus Cristo serão expressas às multidões reunidas diante do grande trono branco. Nenhum ato maligno dos justos será mencionado neste dia. Em vez disso, todas as coisas boas à respeito de suas vidas serão trazidos à luz, todo pensamento santo, todo ato caridoso, toda obra sacrificial.

O nosso Senhor tornará conhecido de todos os presentes, cada oração, cada súplica vinda verdadeiramente do coração, cada lágrima, cada jejum, cada gemido do espírito, cada provação e cada sofrimento, toda palavra de louvor e toda palavra de gratidão vinda dos lábios  dos justos enquanto viveram na Terra. O Senhor se lembrará de todo copo de água fresca dado aos sedentos, de cada pedaço de pão dado aos famintos, toda roupa dada aos que tinham frio e aos que estavam nus.

Ele vai apresentar todo o bem publicamente, e esse momento nos será glorioso!

A verdade é que quando  estivermos diante de nosso Senhor no dia do julgamento nos seremos completos nEle. Mesmo que aja algo que tenhamos feito, mesmo algum pecado que tenhamos cometido, já estará perdoado e coberto pelo Seu sangue e nunca mais será lembrado. Pois a palavra nos diz em (Rm. 8.1 ) Que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Ou seja, não há condenação para os justos.

AS BODAS DO CORDEIRO

Quando estiver terminado o tribunal de Jesus Cristo, então chegara o grande e desejado momento, esperado pelos crentes no Senhor, crentes de todas as épocas, de todas as nações e de todas as culturas, estarão presentes para , as Bodas do Cordeiro. (Ap 19.1-9) Este será o momento de maior triunfo da verdadeira, autêntica e fiel igreja do Senhor Jesus (Lc 22.28,30) – “Mas vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas provações; e assim como meu Pai me conferiu domínio, eu vo-lo confiro a vós, para que comais, bebais à minha mesa no meu reino, e vos senteis sobre tronos julgando as doze tribos de Israel”.

Neste dia de triunfo todos os crentes se assentarão, desde o Antigo e do Novo Testamento, para tomar a ceia tão esperada por nós e por Ele. Mt 26.29 – “Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da vide até aquele dia em que convosco o beba de novo, no reino de meu Pai.”

COMO SERÁ O ARREBATAMENTO E A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

Ao tempo do arrebatamento, os santos se encontrarão com Cristo nos ares, ou seja, nas nuvens, ao passo que, na segunda vinda, Cristo retornará ao monte das Oliveiras, vindo assim ao encontro dos santos na terra com as nuvens (1 Ts 4.13,17 e Ap 1.7 ou Mt 24.30)

Ao tempo do arrebatamento, o monte das Oliveiras ficará intocado, ao passo que ao tempo da segunda vinda será formado um grande vale do oriente de Jerusalém (Zc 14.4,5)

Quando do arrebatamento, os santos serão levados para o céus, ao passo que nenhum crente será arrebatado em conexão com a segunda vinda de Cristo à Terra.

Quando do arrebatamento, os santos serão levados para o céus, ao passo que na segunda vinda de Cristo à Terra os santos continuarão na face da Terra, sem qualquer arrebatamento (I Ts 4.17 e Ap 6.9, 11)

Ao tempo do arrebatamento, o mundo continuará sem julgamento e prosseguirá em seus caminhos pecaminosos, ao passo que na segunda vinda de Cristo o mundo será julgado e a retidão será estabelecida neste mundo (Ap 19.1-21).

O Arrebatamento da Igreja é retratado com livramento antes do dia da ira; mas a segunda vinda de Cristo será seguida pelo livramento daqueles que tiverem confiado em Cristo durante a tribulação (I Ts 1.10 e Ap 12.17)

O Arrebatamento dos santos vivos é uma verdade revelada exclusivamente no N.T (I Ts 4.17), ao passo que a segunda vinda de Cristo com suas ocorrências correlatas é uma doutrina que se destaca em ambos os Testamentos (Ap 1.7 e Is 35.4).

O Arrebatamento diz respeito exclusivamente aos salvos, aos passo que a segunda vinda de Cristo envolve tanto os salvos como os perdidos.

Quando do arrebatamento, satanás não será amarrado, ao passo que na segunda vinda de Cristo, satanás será amarrado e lançado no abismo (Ap 20.1.2)

A GRANDE TRIBULAÇÃO

À partir do momento em que acontecer o arrebatamento começa a se desvendar na Terra um período em que  Deus voltará  a tratar com o povo de Israel, presume-se que serão sete anos, denominado Septuagésima semana de Daniel, logo após Ter acontecido um tratado de paz entre Israel e o anticristo. Esse período de sete anos é conhecido como a grande tribulação.

O livro de Apocalipse descreve, principalmente, os fins dos tempos, quando se dará a chamada tribulação, que encontramos entre os capítulos 6 a 18. As escrituras nos ensina que este período durará sete anos. Porém, em nenhuma parte do livro de revelação é referido tal prazo. Esse conhecimento nos vêm através do que foi inspirado ao profeta Daniel, vejamos Dn 9.24:

“Setenta semanas estão determinadas sobre o povo de Israel, à partir do reinado  de Artaxerxes até os fins dos tempos.”

“Determinadas” neste livro significa “indicados com precisão”. Realmente vemos que elas marcam o tempo para os devidos acontecimentos que culminarão, no final da septuagésima semana, com a vinda do Messias e estabelecimento de Seu reino.

A palavra “ungir”só era aplicada a enfermos e a consagração do sacerdote ou do rei. Aqui será ungido”o Messias dos judeus.

Encontramos as setenta semanas divididas em três períodos:

1o Período) Dn 9.25:  começou no reinado de Artaxerxes, no mês de Nisã ou seja (Abril), 445 a.C; data da ordem para reedificação da cidade santa (Ne 2), durou sete semanas segundo o calendário do homem. Podemos ver que  cada semana correspondem a sete anos pois eram semanas de anos. O povo judeu conhece somente dois “sete”: sete de dias (Dn 10.2,3) e sete de anos (Lv 25.8).

2o Período) Dn 9.26 : este período vai do fim do precedente até ser tirado o Messias, isto é, até a morte de Cristo. Sua duração pelo calendário profético, é de 62 semanas. Porém, pela  contagem dos homens, a morte de Cristo ocorreu 432 anos após o fim do 1o período, isto é, 62 vezes 7 anos. Novamente, a cada semana correspondem 7 anos.

Em Dn 9.25 esses dois períodos são mencionados em conjunto, somando os tempos dos dois, vemos, no calendário profético, 69 semanas como tinha de ser, e no calendário 483 anos ou 69 vezes 7 anos.

3o Período ) Dn 9.27 : Já se passaram 69 semanas , falta apenas a última, ou seja a septuagésima semana para se completar o prazo determinado sobre o povo israelita.

Com a morte de Cristo e Sua recusa pelo povo que foi eleito, Deus os deixou de lado, e voltou-se para os gentios.

Esse é o grande hiato que não é citado no V.T, a era da Igreja, a dispensação da graça (Ef 3.2,9)

Quando Deus olhar novamente para Israel, O que vai acontecer depois do arrebatamento, e a contagem das semanas vai recomeçar, á partir do pacto com o anticristo, será a septuagésima semana de que falou Daniel. É esse o período dos sete anos da grande tribulação.

A Bíblia nos ensina que é a presença do Espírito Santo que está na Igreja é que impede a manifestação total e completa de satanás, mas quando a igreja for arrebatada, então o caminho estará aberto e seu domínio será total. E isto se confirma ao lermos em :II Ts. 2. 6-8 e Mt. 24. 12.

Com as palavras de Jesus nestes dois textos acima, Ele esclarece e revela e enfatiza aos discípulos o tempo em que será intensificada a tribulação e a maior perseguição já sofrida pela Igreja durante toda a sua história, mencionando vários acontecimentos que estão ocorrendo nos últimos séculos tais como, guerras, rumores de guerra, fomes, perseguições e terremotos, revelados como sinais indicativos do período que Jesus chamou de “o princípio das dores”. Com tudo isso que tem acontecido, não podemos nos esquecer que estamos vivendo no “tempo do fim, um período claramente pré-tribulacional.

A grande tribulação será um período de grande aflição e também tera grandes perseguições sem precedentes, e que terá um alcance mundial, que culminará, na volta de Cristo à Terra  em grande glória.

Este período afetará até mesmo os poderes das regiões celestes com eventos catastróficos. No Antigo Testamento, é o tempo de angustia para Jacó” (Jr 30.5-7, Dn 12.1).

Essa última semana profética começara quando o “homem da iniqüidade”( o anticristo) iniciar seu reinado trazendo soluções fantásticas para os problemas políticos, econômicos e religiosos e pouco a pouco, ganhará a simpatia do mundo e dos homens poderosos. Conseguindo assim autoridade e poder, e assim implantará o seu domínio, … “Um príncipe que há de vir … ele …” fará  firme aliança com muitos (provavelmente líderes da nação de Israel) por uma semana, mas na metade desta semana fará com que  cessem todos os sacrifícios.

Com a quebra desse pacto, ele tirará sua máscara e mostrará  sua verdadeira face e estabelecerá o seu domínio de terror e perseguição, tanto de Israel quanto de todos os gentios que se converterem nesse período.

O período da grande tribulação terá como personagem principal o anticristo e será um dos tempos mais terríveis e assustador da história da humanidade. Cenas indescritíveis na linguagem humana se desenrolarão em todo o planeta. Este tempo será o tempo em que satanás, na pessoa do anticristo, agirá com maior liberdade e grande ferocidade contra o povo de Deus e tomará as rédeas políticas, religiosas e econômicas do mundo, com as quais deverá comandar uma espécie de império Romano que, provavelmente, ressurgira naqueles dias, composto de dez nações confederadas como nos mostra os textos que se seguem: (Dn 7.7; 23-26; Ap 17.8-18; besta de Ap. 13 e 19; este é o Homem da iniqüidade de II Ts 2).

Naquele tempo, a crueldade de satanás será plena. Foi dado a ele, entronizado na besta, fazer guerra contra os santos e vencê-los (Dn 7.21 e Ap 13.7). As duas testemunhas serão martirizadas ( Ap 11.3-14) Será um tempo de martírio e sofrimento dos fiéis, até onde o Senhor permitir, justificando plenamente o julgamento de Deus e a ira divina sobre o reino das trevas. Jesus disse que, se o tempo não fosse abreviado, nenhuma carne se salvaria, porque tão grande e apertado será aqueles dias.

Nessa tempo, quando o anticristo detiver todo o poder mundial em suas mãos e, deverá controlar todo o sistema mundial do comércio e comunicações. Ninguém vai poder comprar ou vender se não tiver a sua marca, nome ou número do seu nome na mão direita ou na testa.

Tudo nos leva a crer que o período da grande tribulação será dividido em duas partes, vamos ver como serão os primeiros três anos e meio:

-          Israel terá pleno domínio de Jerusalém (Dn 9.24)

-          Israel fará acordo com o anticristo por sete anos (Dn 9.27, Jo 5.43; Is 28.15-18)

-          Israel irá reconstruir o templo destruído em 70 d.C. (II Ts 2.4)

-          O livro com sete selos (Ap. 5.1-14)

-          Os quatro cavalos e seus cavaleiros – quatro selos (Ap 6.1-8)

-          Os mártires de Deus “Quinto selo”(Ap 6.9-11)

-          Sexto selo “terremotos, chuva de meteoros, Eclipse”(Ap 6.12-17)

-          As duas testemunhas darão as suas profecias (Ap 11.1-12)

-          Os 144.000 judeus de cada tribo de Israel (Ap 7.4-8)

Os últimos três anos e meio:

-          Israel é invadida pelo anticristo (Ap 12.6)

-          O anticristo no templo em Jerusalém (II Ts 2.3-4; Dn 9.27; Jo 5.43)

-          As duas bestas ( o falso profeta e o anticristo) (Ap 13)

-          As Sete trombetas do juízo de Deus (Ap 8.2 –12; 9.1-13; 11.15)

-          As sete pragas (Ap 15-16)

-          Uma chuva de meteoros de até, cerca de 34 quilos cada (Ap 16.21)

-          Os espíritos demoníacos controlando os reis da terra (Ap 16.13.14)

-          Os reis do oriente marcham rumo a Israel (Ap 16.12,16)

-          A batalha do armagedom (as nações contra Israel), (Ap 16.16), (Ap 19.19)

-          A segunda vinda de Cristo à Terra, com Seus santos para livrar Israel (Ap 19.11-26; 1.7; Jd 1.14; Mt 24.30-31)

Existem três teorias sobre a grande tribulação vejamos quais são:

-          Pré tribulacionista, ou seja, Jesus virá buscar a Sua Igreja, e portanto, a Igreja não passará pela “grande tribulação”

-          Pós-tribulacionistas, eles creem e afirmam que Jesus virá uma só vez e virá buscar a Sua Igreja após a “grande tribulação”.

-          Meso –Tribulacionista. A igreja entrará na “grande tribulação, mas somente na primeira parte (talvez nos três e meio primeiros anos).

AS DUAS TESTEMUNHAS

Quando chegar a primeira parte da grande tribulação (três anos e meio) Deus  enviará as suas testemunhas para anunciarem o Evangelho do Reino de Cristo que ira vigorar durante o milênio ( Mt 24.14). E este será o mesmo evangelho que João                                                                                                                Batista pregava, quando aconteceu a primeira vinda de Cristo, há mais ou menos dois mil anos. “arrependei-vos porque é chegado o Reino de Deus”(Mt 3.2). Vemos então:

-          O Evangelho da graça (Mc 16.15) – os crentes em Cristo Jesus pregarão a salvação através da graça de Cristo.

-          O Evangelho do reino (Mt 24.14) – as duas testemunhas que o Senhor enviar irão pregar durante a grande tribulação.

Jesus Cristo disse em Mt 24.14: “E este Evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”- este Evangelho do reino como Jesus já falou e foi escrito, começou a ser pregado por ocasião da vinda de João Batista, que estava preparando o caminho para o Jesus, e ainda será pregado na grande tribulação pelas duas testemunhas que ainda tentarão converter o coração dos pais aos filhos (Ml 4. 6 ).

A Bíblia nos ensina que antes que venha o fim o Evangelho do Reino tem que ser e será pregado em todo o mundo,  quem ira pregar, visto que somente as duas testemunhas não conseguiriam fazer tudo isso?

Além das duas testemunhas, Deus levantará também 144.000 judeus para pregar que o reino de Cristo está próximo, e todos os que ouvirem a mensagem do reino e a aceitarem também pregarão o Evangelho, e assim, todos aqueles que aceitarem esta palavra, poderão até ser mortos pelo anticristo por aceitarem o Reino de Cristo e não a marca da besta, mas aqueles que restarem da perseguição, herdarão o reino de Cristo (Ap 7.14 – “Respondi-lhe: meu Senhor, tu sabes. Disse me ele: Estes são os que vem da grande tribulação; e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do cordeiro”)

Há muitos que pensam e dizem que  estas duas testemunhas não são pessoas, e sim uma profecia somente no sentido alegórico. Mas se assim fosse então porque em Ml 4.5 diz que Deus enviará aos judeus o profeta Elias antes que venha o grande e terrível dia do Senhor? Alguém pode responder que Elias já veio através de João Batista, mas o que estava sobre João Batista era somente o dom de Elias, caso contrário teriamos que acreditar em reencarnação, o que segundo a Bíblia é impossível.

Também o Senhor Jesus afirmou que Elias, que ainda não morreu, viria primeiro para restaurar todas as coisas (Mt 17.11). Isto disse o Senhor depois que João Batista morreu, as duas testemunhas não são alegorias e estarão a pregar o Evangelho do Reino de forma literal e verdadeira.

Uma das testemunhas é Elias, pois Deus prometeu enviar o profeta Elias antes da vinda de Cristo, para converter o coração dos pais e filhos (Ml 4.5-6). Mas alguém pode dizer que esta profecia se refere a João Batista, mas ele não converteu o coração dos pais aos filhos, nem tampouco ordenou que não chovesse, conforme está escrito em Ap 11.6 “Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova nos dias da sua profecia, e têm  poder sobre as águas para converte-las em sangue, e para ferir a terra com toda sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem, “etc., e João Batista não era Elias, e sim o dom de Elias estava sobre João Batista.

O profeta Elias foi arrebatado em vida, e por isso não morreu (II Rs 2.11), assim sua vinda não seria uma reencarnação.

O profeta Elias apareceu na transfiguração de Cristo junto com Moisés, onde Elias representava a profecia no Velho Testamento que apontava a vinda de Cristo em glória. (Mt 17.3)

O profeta Elias fez muitos milagres que as duas testemunhas irão fazer (II Rs 1.10,11 e Irs 17.1).

O Senhor Jesus anunciou a vinda de Elias, mesmo após a morte de João Batista (Mt 17.10,12)

A segunda testemunha provavelmente pode ser Enoque ou Moisés,  creio que não é Enoque, pois a Bíblia diz que Enoque foi transladado para não ver a morte (Hb 11.5) e as testemunhas morrem (Ap 11.7)

E ai poderiamos fazer uma pergunta se não é Enoque teria de ser Moisés, mas porque Moisés?

Moisés apareceu durante a transfiguração de Cristo assim como Elias, onde Moisés representava a Lei no Velho Testamento (Mt 17.3).

Moises fez muitos milagres, que as duas testemunhas também farão (Ex 7.20, 9.9,10)

Não sabemos o que aconteceu com o corpo de Moisés, pois ninguém viu seu corpo, a não ser o Arcanjo Miguel quando contendia com o demônio (Jd 9)

OS 144.000

Logo após  Ter acontecido o arrebatamento, Deus chamará seu exército de 144.000 judeus para oferecer uma voz de esperança para todo o mundo. O arrebatamento removerá os cristãos da terra e despertará os 144.000 judeus a fim de continuarem os seus propósitos (Ap 7.4).

Qual será a missão dos 144.000:

-          Eles terão de  pregar o evangelho pelo mundo todo.

-          Irão se opor a Israel a assinar um tratado de paz por proteção,  com o anticristo.

-          Identificarão o anticristo

-          Informarão antecipadamente a Israel sobre a traição do anticristo.

-          Conduzirão os judeus por todo o mundo para o esconderijo preparado por Deus para eles, no deserto.

-          Estes 144.000 judeus serão diferentes sob a luz dos padrões normais; eles serão solteiros, ousados, destemidos, espiritualmente fortes e muito provavelmente como João Batista.

Esses 144.000 judeus estarão espalhados sobre toda a Terra, serão intocáveis para a besta, pois serão selados pelo próprio Deus (Ap 14.1) “E olhei, e eis que estava o cordeiro sobre o monte Sião, e com Ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai”.

O ARMAGEDOM

O final da grande tribulação será marcado por uma guerra. O armagedom será o palco onde o anticristo ira se mostrar como ele é verdadeiramente, o falso profeta e seus exércitos serão derrotados na segunda vinda do Senhor Jesus em glória, no final dos sete anos de tribulação.

O nome “armagedom” aparece somente uma vez nas Escrituras, e está em Ap. 16.16 e significa “vale do megido”. Megido é uma planície de Israel, em Samaria, na região da Palestina. Este vale foi palco de sangrentas guerras no passado. No sentido profético, armagedom significa derrubar, matar, cortar, decepar, lugar de mortandade. Este lugar de matança é chamado de “lagar”em Apocalipse 14.20.

O Vale do Megido tem 22km de largura por 32km de comprimento, e ali se concentrarão os exércitos do mundo inteiro para a terceira e última guerra mundial.

O objetivo principal de satanás não é destruir apenas Israel, mas impedir a volta de Cristo (Ap 16.13;14 e 16 – “Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes as rãs; porque eles são espíritos de demônio, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajunta-los para a peleja do grande Dia do Deus Todo Poderoso. A trindade satânica (satanás, anticristo e o falso profeta) vai lançar toda sua fúria e força para impedir a volta do Senhor Jesus. Nessa ocasião Israel passará pelo maior aperto de toda sua história; uma situação muito mais difícil do que naquele em que esteve diante do mar vermelho antes de atravessá-lo ao sair do Egito. Agora, cercado por todos os lados pelos exército do mundo inteiro, a única saída é olhar para cima e pedir o socorro do Senhor. É exatamente nesse momento que o Senhor Jesus estará descendo com seus exércitos celestiais e dará livramento a Israel, e que grande e maravilhoso livramento haverá neste dia!

Com a vinda do Senhor, satanás será preso por mil anos e lançado no abismo para que não mais engane as nações. Porém, depois de passar os  mil anos, ele será solto e ainda ira tentar a sua última  peleja contra os santos e contra a cidade de Jerusalém. Aqui chegará o seu fim, quando será lançado no fogo pelos séculos dos séculos como nos diz o texto de (Ap 20.1;3; 7;10).

Os salvos, no entanto estarão para sempre com o Senhor onde não mais existirá morte, nem tristeza, nem choro, nem dor (Ap 27.4). Que maravilha! Se você segue os passos de Jesus e se você tem negado-se a si mesmo e tem seguido ao Senhor você pertence a Jesus, regozije-se no Senhor. Se ainda não tem seguido ao Senhor e ainda não pertence, tome essa decisão o mais rápido possível ou agora  mesmo. Será a melhor decisão que você ira tomar na sua vida.

Satanás será preso por mil anos e lançado no abismo (Ap 20.2-3). O anticristo e o falso profeta serão lançados vivos no lago de fogo (Ap 19.20). Os reis da terra e seus exércitos serão mortos (Ap 19.21). As  Escrituras nos diz que o inferno não foi feito para o homem, mas para satanás e seus demônios e todos aqueles que insistirem em segui-los.

O profeta Zacarias ainda nos fala da sentença do Senhor dizendo: “Eis que eu farei de Jerusalém um cálice de tontear para todo os povos em redor e também para Judá, durante o sítio contra Jerusalém. Naquele dia, farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem se ferirão gravemente, e contra ela, se ajuntarão todas as nações da Terra. Naquele dia procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém. Zc 12.2,3 e 9). O profeta continua dizendo em Zc 14.12 –“Esta será a praga com que o Senhor ferirá a todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles de pé, apodrecer-se-lhes-ão os olhos na suas órbitas, e lhes apodrecerá a língua na boca”.

O mundo caminha rapidamente para o Armagedom. Antes, porém, haverá um período de três anos e meio de falsa paz, seguido por igual período de uma série de terríveis acontecimentos jamais vistos em toda a Terra, culminando finalmente na batalha, onde os exércitos inimigos serão destruídos pelo Rei dos reis. O Senhor Jesus estabelecerá o Seu Reino na Terra, trazendo ao mundo um milênio de paz, justiça e prosperidade.

Ap. 11.15  “Sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do Seu Cristo, e Ele reinará pelos séculos dos séculos.”

Zc. 14.9  “O Senhor será Rei sobre toda a Terra; naquele dia, um só será o Senhor, e um só será o Seu nome”.

A vitória do Senhor Jesus será total e completa. Glória a Deus! Pertencemos a um exército que nunca perdeu e jamais perderá qualquer batalha. Quem pertence a este exército será eternamente vitorioso. Se você ainda não faz parte deste exército, venha correndo e se aliste nele hoje mesmo. O grande comandante está lhe convidando: Mt 28-30 “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu Jugo e aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração e achareis descanso para a vossa alma. Porque o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve”.

Is. 55.6  “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.”

O Armagedom é inevitável. Prepare-se porque o Senhor em breve virá!

A IGREJA NÃO PASSARÁ PELA GRANDE TRIBULAÇÃO

A grande tribulação não é para a Igreja (salvos pela fé no Filho de Deus) e sim para Israel e os gentios. Com o arrebatamento encerra-se a dispensação da graça e Deus volta a tratar com o povo de Israel. Conforme nos fala o profeta Daniel. Dn 9.24,27. Conforme estudo das Setenta Semanas de Daniel a igreja é o corpo cuja cabeça é Cristo (I Co. 6.15; Ef. 5.23). Cristo e sua Igreja formam um corpo, e como Cristo já teve a sua própria  tribulação ao morrer na cruz. Assim sendo, a Igreja de forma alguma poderá passar pela grande tribulação, porque assim sendo, Cristo também teria que passar novamente por esse holocausto. Apocalipse 13.7 mostra que na grande tribulação todos estarão sujeitos a satanás, e se a Igreja participar da tribulação, ela também estaria sujeita a satanás, e Cristo também, pois Ele é a cabeça da Igreja. Isso é impossível. Isso não quer dizer que a Igreja não verá o início das dores (Mt 24.8), mas para que comece a grande tribulação, será necessário que a Igreja esteja no Céu.

O apóstolo Paulo nos ensina que Jesus descerá do Céu e os mortos que morreram em Cristo ressuscitarão com um corpo incorruptível. Depois, nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados para junto do Senhor nos céus (I Co 15.51; I Ts 4.13,17), pois deveremos estar num lugar seguro e longe de qualquer mal. Agora, se alguém pensa que a Igreja passará pela tribulação, ou até mesmo por parte dela, então porque o arrebatamento depois da tribulação? Este suposto arrebatamento após ou durante a tribulação iria livrar a igreja do que? Imagine um menino atravessando a rua e correndo perigo de um acidente, o pai iria ajuda-lo antes ou depois de atravessar a rua? Se ele o ajuda antes, estará livrando-o (arrebatando-o) de um perigo, porém, se ele o ajuda depois, não estará fazendo nada demais, e conseqüentemente não valerá de nada tal ajuda, pois o pai estaria ali só para consolar o filho e não para salva-lo. Portanto, de acordo com o apóstolo Paulo, haverá um arrebatamento para nos livrar da ira futura, e se é para nos livrar, terá que ser antes da tribulação, do contrário não é livrar – I Ts 1.10  “E esperar dos céus o Seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura.”

A Igreja conhecerá o anticristo e verá a sua articulação para subir ao poder, mas isso não quer dizer que já estaremos na grande tribulação, e sim que estaremos mais próximos do arrebatamento, pois ele não poderá governar sem que “primeiro seja tirado o que o detém”(I Ts 2.6- “E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado”)

Ao subir uma montanha, e olhar sobre a parte mais alta, poderemos assistir outras grandes montanhas, porém não veremos o vale que se esconde entre elas, os rios, árvores, cavernas, animais, etc., que já estão entre uma e outra montanha, e foi exatamente isso que o apóstolo João viu. Em Ap. 12.1-6, é visto uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça, esta mulher é a nação de Israel e as doze estrelas são as doze tribos de Israel. A mulher deu à luz a um filho (v.5), e este Filho que há de reger todas as nações com vara de ferro é Jesus Cristo nosso Senhor. O dragão do v.3 e 4 é satanás, que ao cair do céu levou após si a terça parte dos anjos. Esse dragão, ao ver que a mulher (Israel) deu à luz seu Filho (Jesus) queria devorar a criança (isso aconteceu quando Herodes mandou matar os meninos nascidos em Belém – Mt 2.16,18). Ocorre que nesta visão de João, Jesus Cristo nasce, cumpre o propósito para o que Ele veio e volta ao Céu. Logo em seguida, a mulher (Israel) foge para o deserto, quando então começa o período de mil duzentos e sessenta dias, ou seja, metade da grande tribulação. Como vemos, o apóstolo viu a tribulação começar logo após Cristo voltar ao Céu. Ele não viu este período de quase dois mil anos em que a Igreja de Cristo está sendo formada aqui na terra. Na visão, a tribulação começa sem a participação da Igreja, pois ela nem mesmo existe nessa visão, e assim como na visão das montanhas, o apóstolo São João viu as setenta semanas de Daniel se cumprirem uma após outra, sem interrupção, sem ver o que aconteceria entre a penúltima e última semana de Daniel 9.24-27.

A visão não lhe mostrou o tempo que Deus reservou entre a volta de Cristo ao Céu e o início da tribulação, pois existe um tempo, o tempo em que Jesus chamou de “tempo dos gentios”(Lc 21.24), e o apóstolo Paulo chama de “plenitude dos gentios”(Rm 11.25), e “dispensação da graça”(Ef 3.2e9), o chamado parênteses entre a 69a e 70a semana de Daniel. O objetivo de Deus nessa revelação é mostrar que a tribulação irá acontecer com os judeus, e não com a igreja.

Satanás irá perseguir os judeus, assim como muitos outros já fizerem. A Igreja não participa da visão, porém todos sabemos que a Igreja está sendo formada num intervalo de tempo, antes que comesse a última das setenta semanas de Daniel (9.24).

Deus, num gesto de misericórdia, parou os relógios das setenta semanas, e está oferecendo salvação também aos gentios, por isso diz a palavra “Jesus veio para os seus, mas estes não O receberam, mas todos os que O receberam, Ele deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”. (Jo 1.10-12). A salvação era para os judeus, mas como eles negaram a Cristo, Deus estendeu esta salvação aos gentios, para assim formar a Igreja.

Existem também aqueles que afirmam que a igreja passará por uma parte da grande tribulação, isto também é impossível, porque este período de tempo é separado por Deus somente para os judeus, e os ímpios que rejeitaram a palavra e o amor de Cristo. Se a Igreja é a noiva de Cristo, porque então esse noivo, ao invés de chamar sua noiva para as bodas (Ct 2.13) recebendo-a como uma virgem pura (II Co, 11.2), a mandaria para um período de tribulação, mesmo sabendo que ela lhe é fiel (Ap 3.10)? Que noivo é este que derrama sua ira sobre sua bela noiva (Ap 16.17)? Cristo, o noivo da Igreja, a ama de verdade a ponto de dar sua vida numa cruz para salvá-la (Cl 3.19 e Ef. 5.25); a Igreja, sua noiva, é comprada pelo Seu próprio sangue (At 20.28) e a palavra “salvar”não é um meio termo, é salvar de verdade, de tudo e de todos! O Noivo, Jesus Cristo, não irá expor sua bela noiva ao malvado anticristo traidor! Um marido mundano não faria uma coisa dessas. Quanto mais Cristo, o Senhor do amor, fará tal coisa, pelo contrário, Ele não deixará, em hipótese alguma que sua bela noiva passe pela tribulação sob a autoridade do anticristo (Ap 13.7-8-“”E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vence-los e deu-lhe poder sobre toda a tribo, e língua e nação. E adoraram-na todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”).

Antes, a igreja está sujeita ao seu Noivo (Ef.5.24,27), pois o noivo Jesus Cristo não irá aborrecer sua igreja mandando-a para a tribulação (Ef 5.29 – “Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne, antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à Igreja”)

O ANTICRISTO

I Jo2.18 – “Filhinhos, é já a última hora, e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se tem feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora”. O anticristo poderá não ser identificado necessariamente como uma pessoa física, mas como uma entidade jurídica representada por uma pessoa física.

Note que o anticristo estará agindo por todo o tempo até a volta de Cristo à Terra. Portanto, desde o arrebatamento, durante a grande tribulação, até a volta propriamente dita do Senhor Jesus para implantar o milênio de Paz, e até o fim do mundo, quando então o Senhor Jesus o destruirá com o sopro da sua boca. Assim sendo, o anticristo não poderá estar preso à presença de uma só pessoa, mas ele esteve presente em uma determinada pessoa em cada ocasião, como esteve presente na figura de Nero, Dionísio, Hitler, etc.

O anticristo é uma Organização representada por uma pessoa credenciada por essa organização que lhe dará todos os poderes para fazer e desfazer. Essa organização será uma confederação de nações, semelhante à ONU que engloba em si mesma muitas nações do mundo inteiro. Essa organização de nações terá como representante o anticristo físico que pela “Nova Era” é chamado de maytréia.

O anticristo, representante da Organização Internacional, será um homem com grande poder de persuasão, e estará investido de poder de realizar milagres, cujo poder ser-lhe-á dado pelo próprio satanás. E com a demonstração desses poderes de milagres é que ele conseguirá mais ainda a credibilidade dos judeus, que pensarão que ele é mesmo o Messias esperado por eles.

O anticristo eliminará o atual sistema monetário mundial e implantará um novo sistema de compra e venda, este sistema não utilizará o dinheiro, nem cheques ou cartões de crédito e sim um código 666. Este código será impresso ou tatuado na mão direita ou na testa. Este número, provavelmente será invisível e será lido mediante a um scanner de infra-vermelho (Ap 13.16-18)

Alguns nomes do anticristo:

-          anticristo (I Jo 2.18)

-          besta (Ap 13.1e11)

-          iníquo (I Ts 2.8)

-          homem da perdição (I Ts2.3)

-          filho da perdição (I Ts 2.3)

-          chifre pequeno ( Dn 7.8)

-          o príncipe que há de vir (Dn 9.26)

-          o angustiador ( Is 51.13)

-          o mentiroso (I Jo 2.22)

-          o devastador (Is 16.4)

-          o opressor (Is 14.4)

-          o rei altivo (Dn 8.23)

-          o rei do Norte (Dn 11.15)

-          o ímpio (Is 11.4)

-          o enganador (II Jo 7)

Ele é descrito como besta porque atuará sobre o poder diabólico sem piedade contra seus opositores.

Besta significa um animal perigoso e feroz, o leopardo (Os 13.7), o urso (II Rs 2.24) e o leão (I Rs 13.24)

Pés de urso, perigoso se é atacado e agitado; boca de leão, o mais forte entre as feras carnívoras e semelhante a um leopardo, feroz e ágil.

O MILÊNIO

Apresenta-se três teorias sobre o milênio:

a)      Amilenista: segunda esta escola de intérpretes, não haverá milênio. E argumentam: tanto que não haverá milênio, que temos na Bíblia uma só referência sobre o assunto.

b)      Pré-milenista: segundo esta interpretação, Jesus virá para inaugurar o milênio.

c)      Pós-milenista: afirmam que o Evangelho, passo a passo preparará o caminho para Jesus reinar.

A história humana está inserida em dois paraísos.

-          O primeiro paraíso começou no Jardim do Éden, mas a queda em pecado trouxe a dor e a tristeza decorrentes do castigo de Deus. A humanidade recebeu ordem de transformar o jardim na cidade de Deus. Mas ao invés da Nova Jerusalém, o resultado foi a Babilônia e o reino do homem.

-          Com a intervenção de Cristo na história (primeiro em humildade, futuramente em Glória), a humanidade ainda retornará ao paraíso, dessa vez numa cidade – a Nova Jerusalém descrita em Ap 21.

A história atual está se aproximando do estabelecimento da vitória e do Reino de Deus na Terra por meio de Jesus Cristo e Seu povo.

O milênio é uma doutrina bíblica e um conceito teológico derivado de várias passagens. Assim como muitos termos teológicos, a palavra milênio, vem do latim. Refere-se ao período de tempo em que a Bíblia diz que o Reino do Messias será estabelecido na Terra antes do fim da história.

Várias passagens do V.T. falam sobre um tempo futuro de verdadeira paz e prosperidade para os seguidores justos de Deus, sob o reinado benevolente e físico de Jesus Cristo na Terra. Zc 14.9 fala sobre esse período dizendo: “O Senhor será Rei sobre toda a Terra ; naquele dia, um só será o senhor, e um só será o seu nome”. A passagem continua nos versículos 16.21, descrevendo algumas das condições reinantes no milênio. Apesar de toda a Bíblia falar descritivamente sobre o Milênio, apenas no último livro – Apocalipse – a duração do seu reinado foi revelada.

Passagens do V.T. que tratam detalhadamente a respeito do milênio  Is 2.2-4; Is 11.6-9; Is 65.18,23; Jr 31.12,14; Ez 34.25,29; 37.1,14; Dn 2.35; 7.13,14; Jl 2.21,27; Am 9.13,15; Mq 4.1,7 e Sf 3.9,20. Esses versículos são apenas algumas das várias passagens relacionadas a esse assunto, escritos antes da primeira vinda de Cristo.

A primeira passagem mais extensa sobre o milênio está em Apocalipse 20, em que João descreve uma seqüência cronológica – a prisão, a rebelião e o julgamento de satanás para começar o milênio.

O reino futuro de Deus terá duas fases distintas, o Milênio e o Estado Eterno.

Os fatos que ocorrerão no milênio:

-          será um governo ditatorial (Ap 2.26-28);

-          não admitirá rebeldia (Is 29.20);

-          será um reinado de paz e justiça (Is 11.3-5);

-          não haverá nenhum tipo de imposto (Is 60.17);

-          não haverá violência (Is 60.18)

-          ocorrerá o juízo das nações (Mt 25.31-32);

-          nós comeremos (Lc 22.28-30);

-          os animais não serão ferozes (Is 11.6-9);

-          haverá prosperidade, alegria, santidade, consolo, conhecimento, instrução (Is 33.5-6; Jr 30.18-19; Is 35.8-9; Is 51.3; Is 11.1-2; 2.2-3).

-          haverá reprodução dos seres humanos (Jr 30.20; 31.29; Ez 47.22; Zc 10.7-8);

-          existirá trabalho (Is 62.8-9; Jr 31.5)

-          haverá mais luz (Is 4.5;30-36; 60.19);

-          um só idioma (Sf 3.9)

-          haverá plenitude do Espírito Santo (Is 32.13-15; Ez 36.27);

-          no início do milênio satanás será preso (Ap 20.01) e no final ele será solto por um pouco tempo (Ap 20.7-8) e será vencido para todo o sempre (Ap 20.10).

-          juízo eterno (Ap 20.11-15)

O ESTADO ETERNO

Esse estado de eterna glória, em que Deus já vai haver enxugado as lágrimas de todos os salvos,  e jamais findará. Jesus Cristo terá entregado o Reino ao Pai. Existirá  um novo céu e uma nova Terra onde a justiça habitará. Ali não haverá mais tristeza, não terá lugar para o ódio, nem dor, as lembranças amargas do passado já não existirão. Não haverá mais noite e o tempo cronológico como o conhecemos provavelmente deixará de existir. Todos os salvos de todas as épocas se reconhecerão e estarão vivendo juntos eternamente. O puro e perfeito amor será desfrutado no sua inteireza. Os salvos serão unidos ao Senhor de maneira perfeita, física (corpo ressurreto e incorruptível) e espiritualmente. Nas suas frontes estará gravado o Seu nome (Ap 22.3,4 – “Ali não haverá jamais maldição. Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os Seus servos O servirão, e verão a Sua face, e nas suas frontes estará o Seu nome”).

E está é a esperança de todos os que servem a Jesus que se cumpra em suas vidas tudo o que as Escrituras nos mostram, e todos queremos que se cumpra em nossas vidas o que nos diz o texto de Ap. 22. 12 : “E Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”.

BÍBLIOGRAFIA

O PLANO DE DEUS E O ARREBATAMENTO.   ENÉAS  TOGNINI

EDITORA CANDEIA.

.

STBN – SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA NACIONAL

O PLANO DE DEUS E O ARREBATAMENTO

PROFESSORA:    JENNY

ESCATOLOGIA

ALUNO:  JOSÉ RABELO

BORBOREMA – 2002

Gostou deste post? Então: Compartilhe no Facebook Siga-nos no:  Facebook - Twitter - G+

COMENTE AQUI!

Displaying 1 Comments
Have Your Say
  1. Wellington Fontes disse:

    Sou uma das duas testemunhas do Apc.11, quero deixar registrado neste site que a igreja passará pela grande tribulação em breve!

    Atenciosamente,

    A testemunha!

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estes html tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Connect with us on social networks
Recomende no Google

Siga-nos no Google+