qua, mar 10th, 2010

Qual a origem da Igreja Católica?

Pergunta: “Qual a origem da Igreja Católica?”

Resposta: A Igreja Católica Romana declara que sua origem é a morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo em aproximadamente 30 d.C. A Igreja Católica proclama a si própria como a Igreja pela qual Jesus Cristo morreu, a Igreja que foi estabelecida e construída pelos Apóstolos. É esta a verdadeira origem da Igreja Católica? Pelo contrário. Mesmo uma leitura superficial no Novo Testamento irá revelar que a Igreja Católica não tem sua origem nos ensinamentos de Jesus, ou de Seus apóstolos. No Novo Testamento, não há menção a respeito do papado, adoração a Maria (ou a imaculada concepção de Maria, a virgindade perpétua de Maria, a ascensão de Maria ou Maria como co-redentora e mediadora), petição por parte dos santos no Céu pelas orações, sucessão apostólica, as ordenanças da igreja funcionando como sacramentos, o batismo de bebês, a confissão de pecados a um sacerdote, o purgatório, as indulgências ou a autoridade igual da tradição da igreja e da Escritura. Portanto, se a origem da Igreja Católica não está nos ensinamentos de Jesus e Seus apóstolos, como registrado no Novo Testamento, qual a verdadeira origem da Igreja Católica?Pelos primeiros 280 anos da história cristã, o Cristianismo foi banido pelo Império Romano, e os cristãos foram terrivelmente perseguidos. Isto mudou depois da “conversão” do Imperador Romano Constantino. Constantino “legalizou” o Cristianismo pelo Edito de Milão, em 313 d.C. Mais tarde, em 325 d.C., Constantino conclamou o Concílio de Nicéia, em uma tentativa de unificar o Cristianismo. Constantino imaginou o Cristianismo como uma religião que poderia unir o Império Romano, que naquela altura começava a se fragmentar e a se dividir. Mesmo que isto aparente ser um desenvolvimento positivo para a igreja cristã, os resultados foram tudo, menos positivos. Logo Constantino se recusou a abraçar de forma completa a fé cristã, mas continuou com muitos de seus credos pagãos e práticas. Então, a igreja cristã que Constantino promoveu foi uma mistura de verdadeiro Cristianismo e paganismo romano.

Constantino achou que, com o Império Romano sendo tão grande, vasto e diverso, nem todos concordariam em abandonar seus credos religiosos e abraçar o Cristianismo. Então, Constantino permitiu, e mesmo promoveu a “cristianização” de crenças pagãs. Crenças completamente pagãs e totalmente não-bíblicas ganharam nova identidade “cristã”. Seguem-se alguns claros exemplos disso:

(1) O Culto a Ísis, deusa-mãe do Egito e esta religião, foram absorvidas no Cristianismo, substituindo-se Ísis por Maria. Muitos dos títulos que eram usados para Ísis, como “Rainha dos céus”, “Mãe de Deus” e “theotokos” (a que carregou a Deus) foram ligados a Maria. A Maria foi dado um papel exaltado na fé cristã, muito além do que a Bíblia a ela atribui, com o fim de atrair os adoradores de Ísis para uma fé que, de outra forma, não abraçariam. Na verdade, muitos templos a Ísis foram convertidos em templos dedicados a Maria. A primeira indicação clara da Mariologia Católica ocorre nos escritos de Origen, que viveu em Alexandria, Egito, que por acaso era o lugar principal da adoração a Ísis.

(2) O Mitraísmo foi uma religião no Império Romano do 1º ao 5º século d.C. Foi muito popular entre os romanos, em particular entre os soldados romanos, e foi possivelmente a religião de vários imperadores romanos. Mesmo que jamais tenha sido dado ao Mitraísmo um status “oficial” no Império Romano, foi de fato religião oficial até que Constantino e imperadores romanos que o sucederam substituíram o Mitraísmo pelo Cristianismo. Uma das principais características do Mitraísmo era a refeição sacrificial, que envolvia comer a carne e beber o sangue de um touro. Mitras, o deus do Mitraismo, estava “presente” na carne e no sangue do touro, e quando consumido, concedia salvação àqueles que tomavam parte da refeição sacrificial (teofagia, comer o próprio deus). O Mitraísmo também possuía sete “sacramentos”, o que faz com que as semelhanças entre o Mitraísmo e o Catolicismo Romano sejam tão numerosas que não as podemos ignorar. Constantino e seus sucessores encontraram um substituto fácil para a refeição sacrificial do Mitraísmo no conceito da Ceia do Senhor/Comunhão Cristã. Infelizmente, alguns cristãos primitivos já haviam ligado o misticismo à Ceia do Senhor, rejeitando o conceito bíblico de uma simples e adorativa rememoração da morte e sangue derramado de Cristo. A romanização da Ceia do Senhor completou a transição para a consumação sacrificial de Jesus Cristo, agora conhecida como a Missa Católica/Eucaristia.

(3) A maioria dos imperadores romanos (e cidadãos) era henoteísta. Um henoteísta é alguém que crê na existência de muitos deuses, mas dá atenção especial a um deus em particular, ou considera um deus em particular como supremo e acima dos outros deuses. Por exemplo, o deus romano Júpiter era supremo acima do panteão romano de deuses. Os marinheiros romanos eram freqüentemente adoradores de Netuno, o deus dos oceanos. Quando a Igreja Católica absorveu o paganismo romano, ela simplesmente substituiu o panteão de deuses pelos santos. Assim como no panteão romano de deuses havia um deus do amor, um deus da paz, um deus da guerra, um deus da força, um deus da sabedoria, etc, da mesma forma, na Igreja Católica havia um santo “responsável” por cada uma destas coisas, e muitas outras categorias. Assim como muitas cidades romanas tinham um deus específico para ela, também a Igreja Católica providenciou “santos padroeiros” para as cidades.

(4) A supremacia do bispo romano (o papado) foi criada com o apoio de imperadores romanos. Com a cidade de Roma sendo o centro do governo para o Império Romano, e com os imperadores romanos vivendo em Roma, a cidade de Roma alcançou proeminência em todos os aspectos da vida. Constantino e seus sucessores deram apoio ao bispo de Roma como governante supremo da Igreja. Logicamente é o melhor para a unidade do Império Romano que o governo e estado religioso sejam centralizados no mesmo lugar. Mesmo a maioria de outros bispos (e cristãos) resistindo à idéia da supremacia do bispo romano, o bispo romano ascendeu à supremacia, por causa do poder e influência dos imperadores romanos. Quando houve a queda do Império Romano, os papas tomaram para si o título que anteriormente pertencia aos imperadores romanos – Máximo Pontífice.

Muitos outros exemplos poderiam ser dados. Estes quatro devem ser suficientes para demonstrar a verdadeira origem da Igreja Católica. Logicamente a Igreja Católica Romana nega a origem pagã de seus credos e práticas. A Igreja Católica disfarça suas crenças pagãs sob camadas de teologia complicada. A Igreja Católica desculpa e nega sua origem pagã sob a máscara de “tradição da igreja”. Reconhecendo que muitas de suas crenças e práticas são em essência estranhas à Escritura, a Igreja Católica é forçada a negar a autoridade e suficiência da Escritura.

A origem da Igreja Católica é a trágica mistura de Cristianismo com religiões pagãs que o cercavam. Ao invés de proclamar o Evangelho e converter os pagãos, a Igreja Católica “cristianizou” as religiões pagãs e “paganizou” o Cristianismo. Embaçando as diferenças e apagando as distinções, sim, a Igreja Católica se fez atraente às pessoas do Império Romano. O resultado foi que a Igreja Católica se tornou a religião suprema no “mundo romano” por séculos. Contudo, um outro resultado foi a mais dominante forma de apostasia cristã do verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo e da verdadeira proclamação da Palavra de Deus.

II Timóteo 4:3-4 declara: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.”

GotQuestions / Padom

Gostou deste post? Então: Compartilhe no Facebook Siga-nos no:  Facebook - Twitter - G+

Comentários via Facebook

Displaying 18 Comments
Have Your Say
  1. Marcelo disse:

    1 corintios 1 : 10
    Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.

  2. Alessandro Ribeiro disse:

    Católicos, pelo amor de Deus, vão ler a Bíblia, ao invés de acreditarem em tudo que o papa diz.

  3. Alessandro Ribeiro disse:

    Então você acha que antes do protestantismo existia um mundo melhor e muitos tinham fé. Me fale sobre a santa inquisição e a venda de indulgências.

  4. Alessandro Ribeiro disse:

    Eu disse alguma mentira ali sobre Inquisição e Venda de Indulgencias?

  5. Alessandro Ribeiro disse:

    Deixa de ser cego espiritual. Que teologia que devo estudar? A do papa? Da um tempo, quer continuar praticando idolatria, acreditando em diversas mentiras, faz o que quiser. Não adianta clamar por salvação quando for tarde demais.
    Me prove biblicamente todas essas doutrinas católicas.

  6. Alessandro Ribeiro disse:

    Mentira, tem certeza? Vai estudar você.

  7. thiago disse:

    tanta mentira contra a igreja de cristo!!!vão estudar meu povo

  8. thiago disse:

    Vc não sabe nada de nada!!!Vá estudar um pouco de teologia antes falar arneiras!

  9. Alessandro Ribeiro disse:

    O que está escrito nesse artigo é a mais pura verdade, ao contrário dos os católicos romanos dizem aqui. Parem de ficar fazendo imagens de escultura e se ajoelhando a elas. Parem de ficar usando de vãs repetições. Só há um mediador entre Deus e os homens. Onde na Bíblia reconhece qualquer divindade sobre Maria? Maria não é nossa mãe, nem sequer mãe de Deus. Ela foi a mãe carnal de Jesus, e de mais alguns irmãos. Maria não tem culpa que os católicos romanos a elevam de maneira absurda. E não existe nenhum purgatório, pois após a morte vem o juízo. Pedro nunca foi papa, se ele foi, porque os próprios romanos o mataram? E se Jesus fundou a igreja católica romana, me expliquem sobre a Santa Inquisição e a Venda de Indulgências. Jesus Cristo aprovava o que a “igreja de Cristo” fazia com as “bruxas”? Façam-me um favor, se Lutero não tivesse se revoltado, protestado e escrito as 95 teses, estaríamos até hoje pagando pra entrar no céu e ai daquele que ousasse contrariar o papa.

  10. Iolanda Lopes disse:

    Ah! MAIS UM DETALHE: EU SOU CATÓLICO (UNIVERSAL) APOSTÓLICO (PREGADOR) DE JESUS CRISTO. JÁ FUI DE ROMA, MAS ENQUANTO ELA NÃO SE CONVERTER AO CRISTIANISMO E ABANDONAR O PAGANISMO, NÃO VOLTAREI JAMAIS!!!!

  11. Iolanda Lopes disse:

    Só dois detalhes: Realmente católico significa universal. E a igreja de Jesus Cristo é católica. Mas a igreja de Roma, dos papados essa é é mais falsa do que nota de R$ 5,00. Obrigada Jesus por ter aberto nossos olhos. Abra os olhos dos seus que querem te seguir e são enganados pela igreja de Roma. Pq a igreja de Jesus não engana. Não serão confundidos. Eu procuro ler a Bíblia diariamente para não ser enganado pelos falsos profetas. Nem os romanos, nem os protestantes.
    Viva Jesus Cristo!

  12. Católico Romano disse:

    Vocês que se dizem cristãos, deviam ter vergonha de propagar tantas mentiras para tentar desviar as pessoas da verdadeira Igreja de Cristo.

  13. Cristã disse:

    Amados irmãos em Cristo…Em 1º lugar…Igreja fundada por Jesus? A igreja do Senhor não foi fundada meu caro, foi CRIADA…pq igreja somos nós pessoas que creêm NELE como único Salvador, em 2º lugar já está pecando quem diz quem está fora da Igreja Católica não terá Salvação…Pq a palavra de Deus é clara…Quem se arrepender de TODO O CORAÇÃO SERÁ SALVO,então meus caros amigos e irmãos em Cristo vamos parar com essa história de quem está religião certa ou errada…A única certeza que devemos ter é que precisamos de Deus em nossas vidas..assim esqueceremos essas discussões sem sentido e nos concetraremos no ÚNICO Digno de TODA HONRA e de TODA GLÓRIA…Nosso Senhor Jesus Cristo..
    A Paz e a Graça….

  14. Vitor disse:

    eu sou cristão CATÓLICO antes do protestianismo existia um mundo melhor onde a maioria da população tinha fé com o passar do anos veio esta suposta religião nos afrontar que julga as pessoas diz que aquele que cometer pecados queimarão no inferno, SANTA IGREJA CATÓLICA ensina que todos pecam pois ja esta na biblia o ser humano tem a maldade em si seja eu ou você seja prospero tenha fé siga os ensinamentos e todos aqueles que se arrependerem de verdade serão salvos, somente não ha perdão a blasfemes, assassinatos e ao suicídio.

  15. Pedro disse:

    Olha meu amigo. este comentário seu não há nexo. A Igreja Católica foi a fundada por jesus quando disse à pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra construirei a minha Igreja”. Católico, do grago katólikos, quer dizer universal. Então, a Igreja é Una, fora dela não há salvação; Santa, foi fundada pelo próprio cristo; Católica: universal; e Apostórlica: difundida pelos apóstolos. Agora eu lhe pergunto: sabe por que houve a Reforma Protestante? Por questões políticas!! Leia a biografia de Martinho Lutero, o último parágrafo quando sua mãe lhe pergunta qual é a Igreja que ela deve seguir. Ele responde: a Igreja CATÓLICA! Esta certo de que alguns Papas podem ter errado, pois o serhumano não é perfeito, somente Deus, mas eu creio e tenho plena certeza de que a Igreja de Cristo é a Católica! João Calvino pregava que a fé não era o bastante para obter a salvação, mas sim a prosperidade. Então, cá entre nós: o Rico vai ára o céu e o pobre pro inferno? “Ou dá, ou desce”? Leia o livro de Max Webber: “Etica protestante e o espírito do capitlismo” antes de soltar borrachas sobre a Igreja.
    O senhor, doutor protestante, também se referiu à Maria Santíssima como Ísis. Não. Ísis era a esposa de Osíris, enaunto maria foi a escolhida para gerar Deus que se fazia Homem Ela própria diz, no Evangelho de São Lucas : “Doravante todas as gerações hão de chamar-me de bendita”.
    Mas nós, católicos que somos, conservadores, perdoamos borrachas como esta, pois já dizia Nossa Senhora quando apareceu em Fátima: As perseguições à Igreja e ao Santo Padre não tardarão. E o próprio Jesus disse à Pedro “Tu es Pedro e sobre esta pedra construirei a minha Igreja e as portas do Inferno NUUUUUUUUUUNCA prevalecerão contra ela”! Pax Domini!

  16. É o seguinte (para os dois apólogos da eclésia católica logo acima). O autor deste texto que sem dúvidas mostra a verdade sem demagogia (é só pegar evidências com um extoriador) menciona o atrelamento do cristianismo romano, em questão, com o estado e seus interesses. O império naquele momento se dividia e fragmentava por várias quentões, dentre outras, a indiferença religiosa que o cristianismo aplicava à gestão da cultura pagã romana. O cristianismo crescia e alcançava até as mais altas camadas socias. Com uma pregação de igualdade, unidade e caridade, sem contar sua postura irrevogável de ideologia, o cristianismo representava uma forma de pacificação do imério fervente em conflitos naquela época, já que como eu disse, angariava grande parcela da população. A “lambança” foi feita! Querendo o afeto dos cristãos (e o populacho) mas não desejando contrariar os costumes dos povos subjulgados (que logo pepois tomariam roma, como os bárbaros), constantino “oficializou” o cristianismo e o emparelhou à plataforma pagã transpondo características de um para o outro. Como isso se deu? fácil, é só ler o que o autor escreveu à algumas estrofes logo acima. O culto e “canonização” humana (maria e uma infinidade de outros) algo bem peculiar do paganismo, a materialização (imagens) de figuras divinas como cristo (e outros que nem divinos são) sob alegação de “apenas” estarem representando ali, pessoas que estimam, o famoso purgatório (a maior “besteira” que já ouvi) onde dizem que as almas são purificadas para herdarem o céu. Se isso fosse verdade, hebreus 9:27 seria invalidado e a bíblia não teria méritos de livro cristão pois a própria teólogia bíblica se confundiria desmerecendo-à como um livro confiável. E por aí vai. Constantino nunca se converteu. Impor uma religião, conceito, idéia ou o que for, torna-se uma ditadura, um governo de ambições. A “tal” oficialização cristã ruiu a igreja primitiva e degenerou sua virtude e caráter. Denegriu todo o trabalho de anos de evangelização apostólica e invalidou a salvação do homem pelo arrependimento quando tudo isso passou à status de oficialização religiosa e não de postura humana. Uma vergonha. Um absurdo. Viva à reforma, viva à CRISTO!

  17. cat disse:

    se a igreja católica não é a fundada por jesus, então cadê ela? sumiu? mas jesus quando fundou sua igreja, prometeu q ela ñ acabaria, e que estaria com os apóstolos até o fim dos tempos, os apóst. ja morreram todos, então como jesus ficaria com eles até o fim dos tempos, a ñ ser pela sucessão dos apost. a partir de pedro… o primeiro papa? existe outra forma? ou então a igreja de cristo morreu, e surgiu 1500 anos depois c o protestantismo, será?

  18. Allan Jr disse:

    Quanta informação falsa. A primeira imagem de Maria é do século II, as catacumbas são anteriores ao citado, e meu Deus, quanta falta de informação.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estes html tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Comentários via Google+